Publicidade


Especiais

Matérias sobre a sua equipe; leia








Quarta - 01/11

Brasileiro

21h45 - Fortaleza x Corinthians


Placar
Preto: agressão covarde
22h50 23/10/2002

Santos perde jogo e a cabeça em Belém

Time do Peixe não resistiu ao Paysandu e foi derrotado por 2 x 1. Preto e Leão foram agredidos pela PM local.

Do Pelé.Net

SANTOS - Em uma partida bastante movimentada e confusa, que teve até agressão policial sobre os santistas, o Peixe foi derrotado por 2 x 1 pelo Paysandu nesta noite, em Belém.

O gol da vitória dos donos da casa, marcado por Vandick aos 41min do segundo tempo, deu início a um conflito entre os jogadores do Santos, que partiram para cima do assistente reclamando sem razão de impedimento, e a polícia militar, que tentava proteger a arbitragem.

Em meio à confusão, o zagueiro Preto, do Santos, recebeu uma pancada na cabeça de um dos policiais e caiu desacordado, sangrando muito devido a um corte provocado pelo golpe. O jogador foi levado às pressas a um hospital de Belém, e as primeiras informações são de que ele não sofreu nada grave.

A agressão revoltou ainda mais os santistas, que partiram para cima dos policiais com maior ímpeto. Um dos mais exaltados, o técnico Emerson Leão também foi agredido pela polícia com um spray jogado em seus olhos. A partida só foi reiniciada depois de 28 minutos de paralisação.

O resultado negativo - que deixa o Alvinegro com 32 pontos - pode fazer a equipe despencar na tabela do Brasileiro, enquanto o Papão (22 pontos) continua a luta para fugir da ameaça do rebaixamento.

Como Leão esperava, o jogo começou a todo vapor. Logo aos 2min, o Paysandu teve um pênalti a seu favor cometido de forma infantil pelo lateral-esquerdo Léo. Na cobrança, o volante Vânderson chutou fraco para Júlio Sérgio fazer uma defesa aparentemente fácil.

Aos 6min, foi a vez do Santos assustar. Lançado dentro da área pela ponta direita, o meia Elano fingiu que iria cruzar e acabou arrematando um chute sem ângulo que fez a bola raspar o travessão de Marcão.

Jogando em casa, o Papão tratou logo de mostrar que não estava para brincadeira. Impondo seu ritmo, a equipe abriu o marcador aos 10min, quando Zé Augusto emendou um cruzamento de pé esquerdo, colocando a bola nas redes santistas.

Não demorou muito para o Alvinegro dar a resposta. O confronto realmente estava quente. Três minutos mais tarde, em jogada parecida, o meia Elano arrematou de cabeça a bola tocada pelo zagueiro Preto e empatou: 1 x 1.

Na seqüência do empate santista, o Papão teve mais duas chances claras de ficar à frente do placar novamente. Uma aos 18min, com Vânderson e a outra, dez minutos depois, Balão. Ambos finalizaram sem perigo.

Aos 39min, o meia Diego respondeu pela primeira vez a todas as provocações que vem recebendo neste Campeonato Brasileiro. Após levar mais uma entrada por trás, o garoto revidou de forma desleal, acertando um chute no peito do zagueiro Márcio. O cartão vermelho foi inevitável.

No intervalo da partida, Emerson Leão decidiu fechar sua equipe. Sacou o lateral-direito Maurinho e promoveu a entrada do zagueiro Pereira. Assim, Elano passou a atuar pela ala, e Alberto isolou-se no ataque.

Apesar da defesa santista reforçada, foi do Paysandu a primeira oportunidade de gol no segundo tempo. Depois de uma jogada rápida pela ponta-direita, o lateral-esquerdo Souza recebeu cruzamento na entrada oposta da área e emendou de primeira um chute que raspou a trava de Júlio Sérgio.

Aos 9min, foi a vez do Peixe chegar com perigo. Robert assumia a responsabilidade do meio de campo e fazia grandes jogadas. Uma delas foi um cruzamento da esquerda que encontrou Elano como surpresa. Mas o meia não soube finalizar.

O ritmo de jogo superior do Paysandu era total. Com a expulsão de Diego, o Santos se abateu e deixava os donos da casa dominarem boa parte do gramado. Ao Peixe, só restavam os contra-ataques.

A dez minutos do fim da partida, o goleiro Júlio Sérgio tentou deixar claro que o resultado seria apenas o empate. Após uma sobra dentro da área, o ataque do Papão desperdiçou o gol mais feito do jogo ao permitir que o arqueiro santista fizesse grande defesa com o pé direito.

Mesmo assim, o veterano Vandick fez por merecer toda a superioridade dos donos da casa ao longo da partida. Aos 42min, ele recebeu passe na marca do pênalti e empurrou para as redes na saída de Júlio: 2 x 1.

Depois deste meio de semana, o Papão da Curuzu só joga daqui a uma semana, em Goiânia, contra o Goiás. Já o Peixe recebe o Flamengo no sábado dentro da Vila Belmiro.

PAYSANDU 2 x 1 SANTOS

Paysandu
Marcão; Marcos, Gino, Márcio (Valdomiro) e Souza; Vânderson, Sandro (Vandick), Jóbson e Welber; Balão (Albertinho) e Zé Augusto.
Técnico: Hélio dos Anjos.

Santos
Júlio Sérgio; Maurinho (Pereira), Preto, André Luís e Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano (Wellington) e Diego; Robert (Bernardi) e Alberto.
Técnico: Emerson Leão.

Data: 23/10/2002 (quarta-feira).
Local: Estádio Mangueirão, em Belém (PA).
Árbitro: Antônio Pereira da Silva (FIFA GO).
Auxiliares: Flávio Gilberto Kanitz (GO) e José Bonfim Pereira Cruz (GO).
Cartões amarelos: Marcos, Márcio, Jóbson (P); Alberto, Robert (S).
Cartões vermelhos: Diego (S).
Gols: Zé Augusto, aos 10min do 1T (P); Elano, aos 13min do 1T; Vandick, aos 42min do 2T.




Computando seu voto...
Carregando resultado

Total de votos:
© Copyright Zipsports Ltda. Todos os direitos reservados