UOL Notícias Política
 

23/06/2009 - 15h39

Diretor-geral e diretor de RH do Senado são afastados de seus cargos

Do UOL Notícias
Em Brasília e em São Paulo
Atualizada às 16h13

O primeiro-secretário da Mesa Diretora do Senado, Heráclito Fortes (DEM-PI), anunciou há pouco que o diretor-geral Alexandre Gazineo e o diretor de recursos humanos Ralph Campos Siqueira foram afastados de seus cargos. Segundo Fortes, os dois diretores já foram comunicados do afastamento. O fato deve ser confirmado ainda nesta tarde pelo presidente José Sarney (PMDB-AP). Os diretores continuam como funcionários de carreira da Casa.

Afastamento anunciado

  • Folha Imagem - 10.03.2009

    Afastamento de Alexandre Gazineo, diretor-geral do Senado, foi anunciado pelo primeiro-secretário da Mesa Diretora, Heráclito Fortes (DEM-PI)


A demissão acontece em meio à crise que atinge o Senado depois da revelação de que a Casa publicou mais de 600 atos secretos para nomear e exonerar parentes de parlamentares, além de aumentar salários.

A demissão de Alexandre Gazineo foi uma das reivindicações de um grupo de senadores, em documento divulgado na última quarta-feira. Na sexta, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), anunciou algumas medidas para apurar a não publicação de atos administrativos da Casa, ressaltou a criação de um portal de transparência, mas não mencionou a demissão ou afastamento de diretores.

A maioria dos atos secretos foi autorizada por Gazineo, embora o diretor-geral do Senado à época fosse Agaciel Maia. Gazineo assumiu a direção-geral da Casa após a exoneraçãode Agaciel Maia, acusado de não declarar à Receita Federal um imóvel avaliado em R$ 5 milhões. Nesta segunda-feira, vários senadores discursaram no plenário pedindo a demissão de Agaciel.

Monitor de escândalos

O colunista do UOL em Brasília, Fernando Rodrigues, mostra os principais casos de desvio de conduta dentro da Câmara e do Senado neste ano


O mesmo aconteceu com o ex-diretor de recursos humanos João Carlos Zoghbi, afastado do cargo após denúncias de que teria sociedade em empresas que prestam serviços ao Senado, além de ser acusado de ceder um apartamento funcional para parentes que não trabalhavam no Congresso. O afastamento de Ralph, que substituíra Zoghbi, ocorre depois do anúncio pelo presidente da Casa, de uma auditoria nas folhas de pagamento.

A auditoria foi anunciada também na última sexta, em entrevista coletiva do senador José Sarney. As medidas adotadas foram uma reação à denúncia publicada pelo jornal Folha de S.Paulo de que as ordens para manter em sigilo atos administrativos que criavam cargos e aumentavam salários eram dadas por Agaciel Maia.

O substituto de Gazineo será Haroldo Tajra, enquanto Dóris Peixoto ocupará a direção da secretaria de recursos humanos. Os dois novos diretores ocuparão a função, inicialmente, durante um período de 90 dias. Depois destes três meses, a atuação de Tajra e Dóris será avaliada pelos senadores.

Dóris era a presidente da comissão de sindicância que investigou a edição dos atos secretos no Senado e já foi chefe de gabinete de Roseana Sarney (PMDB-MA). Já Tajra é assessor do primeiro-secretário do Senado, Heráclito Fortes.

Como Agaziel e Zoghbi, Gazineo e Campos perdem apenas a função de diretor-geral. Mas continuam empregados no Senado, pois são funcionários contratados da Casa.

A Mesa Diretora se reúne nesta tarde para discutir outras medidas contra a crise que se instalou no Senado Federal.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,39
    3,771
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h22

    -0,03
    103.775,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host