UOL Notícias Política
 

07/11/2009 - 15h56

Dilma ensaia tom eleitoral, chama oposição de 'incompetente' e ataca imprensa

Maurício Savarese
Do UOL Notícias
Em Guarulhos
Em evento organizado pelo PT com prefeitos do partido, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, pré-candidata à Presidência da República, indicou que está deixando o tom professoral para fazer pronunciamentos mais políticos. E afirmou neste sábado (7) que a oposição é "incompetente", não tem projeto para voltar ao Palácio do Planalto e que parte da imprensa se transformou em antagonista do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O que você acha da recente troca de farpas entre tucanos e petistas?



Na noite de sexta-feira, na abertura do 12º Congresso do PC do B, em São Paulo, a preferida de Lula para ocupar seu lugar a partir de 2011 também fez um discurso duro, no qual chamou os adversários do governo federal de "patéticos", em especial depois da crise financeira mundial, que a economia brasileira atravessa com menores sobressaltos na comparação com outros países emergentes e mesmo com os desenvolvidos.

  • Rodrigo Paiva/Folha Imagem

    A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, posa com o próprio retrato durante Encontro Nacional de Prefeitos, em Guarulhos

"A oposição não tem projeto, discurso nem base de apoio social. O que eles têm é uma tentativa de partidarização de alguns segmentos da imprensa, substituindo a oposição política por uma oposição quase midiática", afirmou Dilma em discurso aos prefeitos. "Essas forças do passado mais uma vez tentam se organizar com as táticas mais antigas e tentam de forma astuta fragilizar a base aliada e produzir crises artificiais no Congresso", completou, em referência à turbulência que surgiu no Senado neste ano após denúncias contra o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), aliado de Lula.

Nas pesquisas de intenção de voto para a Presidência da República, Dilma aparece em segundo lugar, tecnicamente empatada com o deputado Ciro Gomes (PSB-CE) e atrás do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), no cenário tido como o mais provável. O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, também disputa para ser o candidato dos tucanos ao Palácio do Planalto no ano que vem.

Sobre os rivais, Dilma afirmou que, seja quem for o candidato do PSDB em 2010, "se jogará o confronto entre o Brasil de 2002, que nós sabemos o que é, e o Brasil de 2009 e 2010, que é o Brasil do presidente e que conseguiu mostrar a grande face de um país continental".

FHC diz que não vai "baixar o nível" contra petistas e crítica indefinição no meio ambiente

Em uma semana na qual petistas responderam a críticas do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, a ministra declarou que a oposição foi arrogante porque atribuiu a popularidade de Lula - na casa dos 70% - ao acaso.

"Nosso problema não foi ter sorte. Nós temos sorte, sim, não somos 'pé-frio'. Mas, sobretudo, temos competência de gestão. A eles pode ter faltado sorte, mas faltou muito mais competência e vontade política de mudar", disse.

A jornalistas, o presidente do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), reforçou os ataques ao ex-presidente, dizendo que ele deveria se chamar "Fracassando Henrique Cardoso". Em evento na capital paulista realizado no mesmo horário, o tucano evitou rebater as críticas dos petistas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,11
    3,339
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,30
    61.087,14
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host