Cidadão tem direito ao porte de arma, afirma Alvaro Dias

Colaboração para o UOL

O pré-candidato à Presidência Álvaro Dias (Podemos-PR) defende a flexibilização do desarmamento. O senador diz que não foi respeitada a vontade do cidadão na área de segurança pública após a votação do chamado Referendo do Desarmamento de 2005. Dias ressalta ainda que o porte de arma deve ser direito de qualquer cidadão, enquanto a polícia não estiver aparelhada de forma a cumprir seu trabalho.

"Não houve respeito à decisão soberana do cidadão", afirmou o senador na sabatina promovida pelo UOL, Folha de S. Paulo e SBT nesta segunda-feira (7). Em outubro de 2005, o referendo não permitiu que o artigo 35 do Estatuto do Desarmamento entrasse em vigor.

Previsto na Lei 10826 de 2003, o Artigo 35 diz que "é proibida a comercialização de arma de fogo e munição em todo o território nacional, salvo para as entidades previstas no art. 6º desta Lei".

"Eu sou favorável ao cumprimento do desejo da população do país, da que é a possibilidade de ter o porte de arma", declarou o senador. "Eu não posso negar esse direito ao cidadão brasileiro. Até que o Estado seja aparelhado o suficiente. Esse desarmamento não surtiu efeito. A violência aumentou. Não creio que [com o aumento do porte de arma] diminua, mas é um direito que o cidadão tem."

Para o senador, é culpa do Estado essa vontade de segurança da população. "A incompetência e a corrupção jogam no chão a segurança pública do país", afirmou o pré-candidato. "O Estado tem que se armar. Se o cidadão se sentir seguro, não vai querer usar arma."

"As polícias deveriam estar devidamente instrumentalizadas. A consequência é esse desejo da legítima defesa", argumentou o senador.

Além disso, para Dias "não cabe ao Exército" fazer a segurança cotidiana. "Sou contra a intervenção. Isso não é honesto com o Exército Brasileiro. Não é assim que vamos resolver o problema da violência no país."

Sabatinas com pré-candidatos à Presidência começam nesta segunda

Esta é a terceira eleição consecutiva em que o UOL, maior empresa brasileira de conteúdo, serviços e produtos da internet, a Folha de S.Paulo, maior jornal no país, e o SBT, emissora com a segunda maior audiência da TV aberta brasileira, repetem a parceria para promover debates e sabatinas com os candidatos à Presidência da República.

As regras de participação nas sabatinas e debates foram definidas em reunião na sede do SBT no dia 22 de março, com representantes de 18 dos 35 partidos registrados no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Foram convidados os seis candidatos à Presidência mais bem colocados na pesquisa Datafolha divulgada em 16 de abril. Com a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que lidera a pesquisa, Alvaro Dias, o sétimo colocado no levantamento, foi convidado.

No próximo dia 11 de maio, acontece a sabatina com a pré-candidata Marina Silva (Rede).

No dia 21 de maio, será a vez de Ciro Gomes (PDT).

Geraldo Alckmin (PSDB) e Jair Bolsonaro (PSL) ainda não confirmaram a data de participação. Joaquim Barbosa (PSB) ainda não confirmou a pré-candidatura.

SABATINAS COM CANDIDATOS AO GOVERNO DE SP

Depois dos presidenciáveis, UOL, Folha e SBT farão sabatinas com quatro pré-candidatos ao governo de São Paulo, nas seguintes datas:

28 de maio: Luiz Marinho (PT)

30 de maio: Márcio França (PSB)

6 de junho: João Doria (PSDB)

8 de junho: Paulo Skaf (MDB)

DEBATES

O debate de primeiro turno entre os políticos que disputarão a eleição está previsto para o dia 26 de setembro. Em um eventual segundo turno, o debate será realizado no dia 17 de outubro. Os dois eventos terão duração de uma hora e vinte e cinco minutos (das 18h20 às 19h45) e serão realizados no estúdio do SBT.

A transmissão ao vivo será feita em TV aberta, nos sites do UOL e da Folha e também em perfis dos três veículos em redes sociais. Jornalistas dos três veículos também participarão fazendo perguntas.

"Para a Folha, a participação dos jornalistas é fundamental", disse Roberto Dias, secretário de Redação da "Folha de S.Paulo".

Primeiro debate online do Brasil

Em 2010, Folha e UOL realizaram o primeiro debate da internet brasileira com candidatos à Presidência da República. Em 2012, em parceria com o SBT, o UOL realizou um debate com os candidatos à Prefeitura de São Paulo.

Em 2014, também na disputa presidencial, o debate foi feito em parceria entre UOL, Folha, SBT e a rádio Jovem Pan. Nas últimas eleições municipais, em 2016, UOL, Folha e SBT também promoveram debates com candidatos à Prefeitura de São Paulo.

Veja íntegra da sabatina com Alvaro Dias

UOL Cursos Online

Todos os cursos