Ibope: Bolsonaro tem 26%, Ciro, 11%, Marina, 9%, Alckmin, 9%, Haddad, 8%

Do UOL, em São Paulo

  • Montagem BOL - Myke Sena/Framephoto/Estadão Conteúdo e Lucas Lima/UOL

Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (11) aponta que o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) continua liderando as intenções de voto para a Presidência da República. Ele aparece com 26% das intenções de voto. Na última pesquisa, divulgada no dia 5 de setembro, Bolsonaro tinha 22%.

O candidato do PSL é seguido por Ciro Gomes (PDT), com 11%, e por Marina Silva (Rede) e Geraldo Alckmin (PSDB), ambos com 9%. O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT), oficializado como candidato nesta terça após a Justiça Eleitoral barrar a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), aparece com 8%.

Considerando a margem de erro da pesquisa, que é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos, Ciro, Marina, Alckmin e Haddad estão tecnicamente empatados na segunda colocação.

Em comparação aos números da pesquisa anterior, Alckmin se manteve estável, com 9% das intenções de voto, Ciro perdeu um ponto percentual, de 12% para 11%, Marina caiu três pontos, de 12% para 9%, e Haddad cresceu dois, de 6% para 8%.

O Ibope fez o levantamento ao longo de três dias, entre 8 e 10 de setembro, no fim de semana seguinte ao ataque a faca contra Bolsonaro, com 2.002 entrevistados. Já a pesquisa Datafolha divulgada ontem, em que a rejeição a Bolsonaro passou de 39% para 43%, foi realizada e divulgada na segunda-feira (10).

A pesquisa Ibope desta terça foi contratada pelo próprio instituto e registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número BR-05221/2018.

O nível de confiança é de 95% --ou seja, considerando o mesmo modelo de amostra, em 95% delas o resultado estará dentro da margem de erro.

Espontânea

Na pesquisa espontânea, em que os nomes dos candidatos não são apresentados aos entrevistados, Bolsonaro passou de 17% para 23% na comparação com a pesquisa Ibope anterior. Ele é seguido por Lula, que foi citado por 15% dos consultados, mesmo após ter seu registro de candidatura indeferido.

Veja as intenções de voto na pesquisa espontânea:

  • Jair Bolsonaro (PSL): 23%
  • Lula (PT): 15%
  • Ciro Gomes (PDT): 5%
  • Geraldo Alckmin (PSDB): 4%
  • Fernando Haddad (PT): 4%
  • Marina Silva (Rede): 3%
  • João Amoêdo (NOVO): 2%
  • Alvaro Dias (PODE): 1%
  • Henrique Meirelles (MDB): 1%
  • Cabo Daciolo (Patriota): 0%
  • Guilherme Boulos (PSOL): 0%
  • Eymael (DC): 0%
  • Vera (PSTU): 0%
  • João Goulart Filho (PPL): -
  • Outros: 2%
  • Brancos e nulos: 18%
  • Não sabem/não opinaram: 21%

Segundo turno

O Ibope ainda trouxe quatro simulações para um possível segundo turno entre os candidatos. Apesar de liderar as intenções de voto para o primeiro turno, Bolsonaro estaria em empate técnico com os outros quatro candidatos testados --Ciro, Marina, Alckmin e Haddad. Veja as simulações:

Ciro x Bolsonaro

  • Ciro Gomes (PDT): 40%
  • Jair Bolsonaro (PSL): 37%
  • Brancos e nulos: 18%
  • Não sabem ou não responderam: 4%

ERRATA - A primeira versão deste texto informava incorretamente as intenções de Ciro e Bolsonaro na simulação de 2º turno

Alckmin x Bolsonaro

  • Geraldo Alckmin (PSDB): 38%
  • Jair Bolsonaro (PSL): 37%
  • Brancos e nulos: 21%
  • Não sabem ou não responderam: 4%

Marina x Bolsonaro

  • Marina Silva (Rede): 38%
  • Jair Bolsonaro (PSL): 38%
  • Brancos e nulos: 20%
  • Não sabem ou não responderam: 4%

Haddad x Bolsonaro

  • Fernando Haddad (PT): 36%
  • Jair Bolsonaro (PSL): 40%
  • Brancos e nulos: 19%
  • Não sabem ou não responderam: 5%

Rejeição

O Ibope ainda mediu a taxa de rejeição dos candidatos, perguntando aos eleitores em quem eles não votariam de jeito nenhum.

Como os entrevistados podiam citar mais de um nome, a soma dos índices ultrapassa 100%.

Em comparação com a última pesquisa Ibope, todos os candidatos, apresentaram um índice menor de rejeição, com a exceção de Haddad. O candidato do PT se manteve estável, com 23%.

Alvaro Dias foi o candidato que apresentou maior queda na taxa de rejeição, que passou de 13% para 9%.

Já o índice de Bolsonaro foi de 44% para 41%, o de Alckmin, de 22% para 19%, e o de Marina, de 26% para 24%.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos