Doria faz acordo de R$ 40 mil para encerrar ação movida por ex-doméstica

Guilherme Mazieiro

Do UOL, em São Paulo

  • RENATO S. CERQUEIRA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O candidato ao governo do Estado de São Paulo, João Doria (PSDB) firmou um acordo de R$ 40 mil que colocou fim a um processo trabalhista movido por sua ex-empregada doméstica, Josefa dos Santos. Ela pedia indenização de R$ 50 mil por ter sido demitida enquanto estava afastada para tratamento médico.

A doméstica trabalhou por 12 anos na casa de Doria, com carteira assinada entre 24 de março de 2006 e 5 de março de 2018. Ela foi demitida quando o tucano era prefeito de São Paulo e, segundo o advogado de Josefa, ela ainda não conseguiu novo emprego com carteira assinada.

"Sobre a dona Josefa, ela foi mandada embora durante tratamento médico e pleiteou horas extras e danos morais. Trabalhou 12 anos com carteira assinada, todos os direitos foram pagos, apenas as horas extras que não", explicou o advogado da doméstica, Décio Peres Maziero.

Indicado pela campanha de João Doria para comentar o acordo, o candidato a vice-governador e coordenador da campanha de Doria, Rodrigo Garcia (DEM) considerou que a questão já está superada. "Não é uma questão relativa à campanha [de Doria] e como já foi homologado um acordo na Justiça, a questão está superada", disse.

A assessoria de imprensa do candidato comunicou, em nota, que" em respeito a senhora Josefa Gomes dos Santos e consideração pelos anos de trabalho e convivência, chegou-se a um entendimento para o encerramento do processo".

Pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira (10) - a primeira do instituto após o início do horário eleitoral gratuito na TV e no rádio-- aponta que Paulo Skaf (MDB) e João Doria (PSDB) continuam tecnicamente empatados na disputa pelo governo de São Paulo.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos