Anastasia critica PT, mas diz que manterá em segredo seu voto a presidente

Carlos Eduardo Cherem

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte

  • FERNANDO MORENO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

    16.ago.2018 - Senador Antonio Anastasia (PSDB) participa de debate promovido pela Band no 1º turno

    16.ago.2018 - Senador Antonio Anastasia (PSDB) participa de debate promovido pela Band no 1º turno

Um dia após criticar seu adversário de segundo turno na disputa pelo governo mineiro por pedir apoio ao PT, o senador Antônio Anastasia (PSDB-MG) afirmou nesta quarta-feira (10), por meio de redes sociais, que vai manter em segredo seu voto para presidente no segundo turno. O partido dele já declarou neutralidade. Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL) seguem na disputa.

Ontem, o candidato do Novo ao governo de Minas, o empresário Romeu Zema, que disputa o segundo turno com o tucano, afirmou que "pediria apoio até ao [governador e candidato derrotado à reeleição Fernando] Pimentel" para a disputa ao governo mineiro.

"Acabamos com o desgoverno do Pimentel em Minas Gerais, e agora o senhor Zema vem dizer que quer o Pimentel de volta? Eu acho muito estranho", disse Anastasia.

Leia também:

Embora tenha reafirmado em sua fala ser contra a candidatura de Fernando Haddad (PT), o tucano disse que não declarará apoio a nenhum dos candidatos à Presidência.

"Reitero minha firme posição política contrária ao PT, por causa dos males causados pelos governos petistas no Brasil e em Minas Gerais", disse Anastasia. "Mas meu voto pessoal será mantido reservado."

O tucano viajou para Brasília na terça-feira (9) e não fez agendas de campanha nesses últimos dois dias por causa de sua atuação no Senado. Ele afirmou que as lideranças que apoiam a candidatura do PSDB em Minas terão liberdade para se pronunciar a respeito da disputa presidencial.

Anastasia explicou que a direção nacional do PSDB decidiu liberar os diretórios "em face das circunstâncias estaduais" para que pudessem manifestar voto no segundo turno à Presidência.
O tucano disse ainda que manterá diálogo com qualquer presidente eleito.

"Como sempre fiz ao longo da minha história, vou trabalhar muito por Minas Gerais e terei uma relação institucional e respeitosa com o próximo presidente da República, defendendo sempre os interesses da nossa gente", afirmou.

Vice e diretório tucano pró-Bolsonaro

Enquanto Anastasia anuncia silêncio sobre seu voto, o presidente do Diretório Estadual do PSDB de Minas Gerais, deputado Domingo Sávio (PSDB-MG), e o coordenador da campanha tucana e candidato a vice na chapa do senador, deputado Marcos Montes (PSD-MG), gravaram vídeos de apoio à candidatura de Bolsonaro.

"Botamos a Dilma [Rousseff] para correr. Agora tem que botar para correr o PT do Brasil inteiro. Estamos com você, comandante", afirmou Sávio em vídeo gravado ao lado de Bolsonaro.

"Tive a oportunidade, já há algum tempo, no primeiro turno, de declarar apoio como vice-governador de Minas a esse grande homem, tirando o PT da nossa frente. E hoje, volto aqui para reafirmar meu apoio, de todos os mineiros e mineiras, na confiança absoluta em seu governo", diz Montes.

Em setembro, em discurso em Patrocínio (MG), o deputado já havia afirmado que era preciso "dar as mãos" à candidatura de Jair Bolsonaro. Na ocasião, o parlamentar disse que o movimento era necessário por causa da "estagnação" da candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB), que acabou chegando ao fim do primeiro turno com 4% dos votos válidos.

"A partir do momento que eu e o Anastasia acharmos que o candidato Alckmin não vai ao segundo turno, nós precisamos dar a mãos ao Bolsonaro", declarou. Hoje, ele reiterou o apoio ao candidato do PSL.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos