Vamos aquilombar as instituições, diz 5ª deputada federal mais votada em MG

Carlos Eduardo Cherem

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte

  • Divulgação/Áurea Carolina

    Áurea Carolina (PSOL) foi a quinta deputada federal mais votada de Minas em 2018

    Áurea Carolina (PSOL) foi a quinta deputada federal mais votada de Minas em 2018

Eleita deputada federal por Minas Gerais neste domingo (7) com a quinta maior votação no estado - 162.740 votos, 1,61% do total de votos válidos –, a vereadora em Belo Horizonte Áurea Carolina (PSOL), 34, socióloga e cientista política, afirmou que pretende utilizar seu mandato para "aquilombar as instituições" brasileiras.

"Vamos aquilombar as instituições em Brasília. Vamos aquilombar os grandes poderes. Fazer [da Câmara dos Deputados] um espaço de resistência, de enfrentamento às injustiças", afirmou a deputada eleita ao UOL nesta segunda-feira (8).

Dois anos após ser eleita a vereadora mais votada da capital mineira, com 17.420 votos (1,46% do total), Áurea Carolina multiplicou por quase dez vezes seus votos e superou antigos caciques da política mineira na votação para a Câmara dos Deputados.

O senador Aécio Neves (PSDB-MG), ex-governador de Minas por dois mandatos, ex-presidente da Câmara e do PSDB, foi eleito deputado federal com 106.702 votos (19ª posição, com 1.06% dos votos). Já o ex-prefeito de Belo Horizonte e ex-ministro de Lula e Dilma Patrus Ananias (PT) teve 112.724 votos (16º lugar, 1,12% dos votos).

A deputada eleita, que se declarou parda à Justiça Eleitoral, fez campanha na rua apoiada na luta feminista, em defesa de minorias e, sobretudo, no combate ao racismo.

A receita de R$ 173 mil declarada à Justiça Eleitoral veio na sua quase totalidade de financiamento coletivo e pequenas doações de pessoas físicas. A exceção ficou por conta da doação do Diretório Estadual do PSOL, de R$ 11,6 mil (6,7% do total).

"Nesse cenário de muita angústia, de avanço de forças fundamentalistas, de ódio, vamos construir uma comunidade, um quilombo, em que nós nos amparamos e confiamos umas nas outras", disse.  "Um quilombo de pessoas negras e de mulheres. Um quilombo de gente disposta a entregar a vida em nome dessa construção coletiva."

"[A votação conquistada domingo] traduz a nossa capacidade de construir lutas no cotidiano. Lutas feministas, antirracistas e populares", disse Áurea.

Dos seis projetos de lei que ela propôs em quase dois anos de mandato na Câmara de Vereadores de Belo Horizonte, cinco beneficiam negros e mulheres.

Marielle Franco vive

Pela militância política, pelo partido, pela aparência física e pela idade, Áurea Carolina, cinco anos mais nova do que a ex-vereadora carioca Marielle Franco (PSOL-RJ), assassinada em março deste ano no Rio de Janeiro, é constantemente comparada à correligionária pelos eleitores mineiros.

Após o crime contra Marielle, a mineira deu um depoimento ao UOL sobre o assassinato da vereadora carioca, dizendo inspirar-se na parlamentar.

"Marielle permanece em nós, já como uma força ancestral, inspiradora de encorajamento, de jamais retroceder. Por isso não tenho medo, não tenho mesmo. Sei que a nossa luta nos transcende, nos atravessa, é muito maior do que nós", afirmou à época.

"E nós nos ampararemos umas nas outras. Porque não é possível contar com esse Estado, que é genocida, racista, que lida conosco como alvos e produz todos os dias um massacre sobre nós", disse a deputada.

Na noite de domingo (6), no comitê de campanha da parlamentar do PSOL, dezenas de militantes da legenda comemoraram a eleição de Áurea Carolina repetindo as palavras de ordem da campanha da deputada eleita: "Marielle vive".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos