Advogados pró-Haddad se unem para processar Bolsonaro por propaganda ilegal

Bernardo Barbosa

Do UOL, em São Paulo

  • Renato S. Cerqueira/ Futura Press/Estadão Conteúdo

    Haddad se encontra com juristas em hotel de São Paulo nesta quinta

    Haddad se encontra com juristas em hotel de São Paulo nesta quinta

Parte do grupo de centenas de juristas e advogados que anunciou, na manhã desta quinta-feira (18), apoio à candidatura de Fernando Haddad (PT) deve entrar ainda hoje com um processo no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) contra Jair Bolsonaro (PSL). A medida se deve à reportagem da Folha de S. Paulo que denunciou a existência de um esquema ilegal de propaganda contra o PT no WhatsApp.

O escopo da medida a ser endereçada ao TSE será debatido nas próximas horas. Segundo o UOL apurou com advogados que devem elaborar o documento, ainda não há consenso sobre um eventual pedido de cassação da chapa de Bolsonaro, com a alegação de crimes eleitorais. O pedido deverá, no mínimo, cobrar do TSE medidas contra os responsáveis pela articulação, operação e pagamento do sistema de disparo de mensagens.

A elaboração do pedido deve contar com a participação de advogados como Antônio Mariz de Oliveira, que já defendeu o presidente Michel Temer (MDB), e Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, conhecido por advogar para políticos e empresários.

Na manhã de hoje, em São Paulo, Haddad recebeu um manifesto em seu apoio assinado por cerca de 1.500 juristas e advogados. Em discurso no evento, o candidato disse que a reportagem da Folha revelou uma "tentativa de fraude eleitoral".

Leia também:

Desde o fim do primeiro turno, Haddad e sua campanha têm reclamado constantemente da disseminação de notícias falsas contra o candidato por meio de redes sociais e WhatsApp.

Ontem, a coligação O Povo Feliz De Novo, que tem Haddad como candidato, levou à Polícia Federal um pedido de investigação do suposto envolvimento de Bolsonaro com as informações falsas, tratando o adversário como principal beneficiário de um esquema organizado de desinformação. A campanha do candidato do PSL diz que as acusações não têm provas. 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos