Flávio Dino: "Supremo deve conter eventuais propósitos antidemocráticos"

Do UOL, em São Paulo

Governador reeleito do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) acredita que o Supremo Tribunal Federal (STF) terá uma posição fundamental na luta contra eventuais movimentos de retrocesso do governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

"Tenho a avaliação de que o Supremo Tribunal em particular deve atuar fortemente como um poder moderador desses eventuais arroubos de retrocesso, não só no plano social mas outros terrenos como da moral. O Supremo tende a atuar equilibrando esse jogo até mais do que o próprio Congresso no primeiro momento", afirmou Dino ao UOL, que atuou por 12 anos como juiz federal ao presidir a Associação Nacional de Juízes Federais (Ajufe) antes de se filiar ao PCdoB.

Leia também:

Na opinião do governador, o Supremo deve agir em acordo com a maioria da população contra eventuais atos de violência e perseguições. "O Supremo também deve caminhar nessa direção de ser importante poder de contenção de eventuais propósitos antidemocráticos e de proteção desse legado que é a constituição de 1988".

Flávio Dino ainda ressaltou que as políticas sociais deveriam pautar o governo de Jair Bolsonaro e fez uma crítica à defesa do pensamento da meritocracia.

"Espero que quanto mais possa acontecer [políticas sociais] será melhor. Estamos numa sociedade brutalmente desigual. Qualquer agenda de benefícios sociais é positiva. Apenas uma visão de meia dúzia de bárbaros pode achar que é viável existir meritocracia num país tão desigual no que se refere a oportunidades".

Análise: Bolsonaro pode capturar eleitor cativo do PT com programas sociais

Receba notícias do UOL. É grátis!

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos