ESCÂNDALOS NO CONGRESSO

60. Congresso gasta R$ 44 milhões com salário de licenciados e suplentes

Data de Divulgação

16.jul.2011

O escândalo

Em 2011, o Congresso deve gastar R$ 44 milhões com os salários de políticos licenciados e de seus suplentes, noticiou o jornal "Correio Braziliense" em 16.jul.2011 (aqui para assinantes do jornal e aqui para todos os internautas). O gasto é maior que o de 2010, afirmou o jornal.

A despesa é maior porque os congressistas tiveram aumento salarial em 2011, explica o jornal. Além disso, todos os congressistas que assumiram cargo de secretário estadual optaram por receber o salário do Congresso (de R$ 26,7 mil) e não o de secretário (que chegam a R$ 15 mil, segundo o "Correio").

Na Câmara, são 49 suplentes em exercício. No Senado, 6, informou o "Correio". De acordo com o jornal, todos recebem 13 salários, "ajuda de custo" igual ao salário para iniciar o mandato e 15° proporcional aos dias que ficarem no cargo.

"Os titulares dessas vagas também continuam recebendo pagamentos dos cofres federais", disse a reportagem. Na Câmara, a soma dos pagamento a titulares e a seus suplentes "chega a R$ 39,2 milhões por ano". No Senado, a conta fica em R$ 4,8 milhões.

Aumento de rendimentos
O "Correio" também relatou que congressistas que deixam o cargo na Câmara ou no Senado podem , além de optar pelo salário maior, aumentar seus rendimentos participando do conselho de empresas estatais. O recebimento desse benefício depende de autorização do Congresso, que deve sair no 2º semestre de 2011.

"Como ocorre com ministros, congressistas que atuarem como secretários também devem receber permissão para ultrapassar o teto constitucional e serem remunerados por participação em conselhos de estatais nos estados. A permissão deve ser oficializada neste segundo semestre, quando a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara vai responder a uma consulta do presidente da Casa, Marco Maia (PT-RS), sobre o assunto", afirmou o "Correio".

O que aconteceu?

Nada.

UOL Cursos Online

Todos os cursos