Gilmar Mendes afirma que Battisti terá decisão justa

Alana Gandra
Da Agência Brasil
No Rio de Janeiro

Mais sobre o caso Battisti

  • Marcello Casal Jr./Abr

    Em carta escrita de próprio punho, ex-ativista Cesare Battisti afirma ser inocente nos casos de assassinatos pelos quais foi condenado na Justiça italiana


O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, não quis comentar se o ex-militante de esquerda italiano Cesare Battisti, cujo pedido de libertação está sendo examinado pelo órgão, poderá ser solto ou extraditado para a Itália.

Ao participar neste sábado (31), na capital fluminense, do encerramento do 2º Mutirão Carcerário do estado do Rio de Janeiro, organizado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), do qual também é titular, Mendes afirmou que "a questão está confiada às mãos competentes do Supremo Tribunal Federal que, certamente, encontrará uma decisão justa".

Questionado sobre o parecer do Ministério Público, que pede que Battisti seja libertado, caso o processo seja extinto, o presidente do STF disse que é hora de aguardar os acontecimentos. " O relator decidiu mantê-lo preso e nós vamos julgar a extradição e a questão de ordem no momento oportuno", informou.

O pedido de libertação de Battisti foi feito no último dia 14, após o ex-militante de esquerda receber do governo brasileiro a condição de refugiado político.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos