PSDB fica com a vice-presidência do Senado; impasse sobre secretaria deve ser resolvido na quarta

Claudia Andrade
Do UOL Notícias
Em Brasília

Atualizado às 18h18

A primeira vice-presidência do Senado ficou com o PSDB. O senador Marconi Perillo (GO) foi escolhido para o cargo na tarde desta terça-feira (03). Ele assume no lugar de Tião Viana (PT-AC), candidato derrotado à Presidência do Senado. A segunda vice-presidência ficou com a petista Serys Slhessarenko (MT).

O DEM ficou com a primeira secretaria, com a eleição de Heráclito Fortes (PI), que substitui o colega de partido Efraim Morais (PB). O senador Mão Santa (PMDB-PI) ficou com a segunda secretaria, mantendo o partido na cadeira, já que ele entra no lugar de Gerson Camata (PMDB). A terceira secretaria, que estava sob o comando de César Borges (PR-BA), passa para João Vicente Claudino (PTB-PI).

Impasse
O acordo para a definição da quarta secretaria, contudo, ainda não foi fechado. Antes da votação que oficializou os demais cargos, representantes de bancadas se reunião para tentar resolver a polêmica envolvendo o PDT e o PR.

O PDT ficaria com a cadeira, pelo critério de proporcionalidade estabelecido no regimento interno da Casa. Contudo, o PR afirma ter fechado acordo com o PMDB para indicar o titular do cargo. Atualmente, o PR já ocupa a cadeira, com o senador Magno Malta (ES). O PDT quer que seja escolhida a senadora Patrícia Saboya (CE).

O líder do PDT, senador Osmar Dias (PR) diz que seu partido "não pode aceitar um rolo compressor". "Estou dando prazo até amanhã (para definição) porque confio no senador José Sarney (presidente do Senado) e nas principais lideranças que disseram que o regimento seria cumprido", afirmou.

O argumento do PR é que Patricia Saboya não assumiu com os demais senadores, pois só se filiou ao partido em setembro de 2007. Ela foi eleita pelo PSB. "Eu nem sei bem o que faz o quarto secretário. Estamos brigando pelo espaço do partido", disse o senador Expedito Júnior (PR-RO).

"Vamos encaminhar [as negociações] pelo terreno da concórdia. Não se perde uma semana, estamos exercendo um direito legítimo da democracia", afirmou o novo presidente da Casa, José Sarney (AP). Questionado sobre a influência do impasse na definição das comissões do Senado - os próximos cargos a serem definidos - Sarney disse que "nada vai contaminar as comissões. Vamos tratar de saúde e não da doença".

O PMDB, que elegeu José Sarney para a presidência do Senado nesta segunda-feira, é o partido com o maior número de representantes na Casa, com 20 senadores. O DEM tem 14, o PSDB, 13, o PT, 12, o PTB tem sete senadores, o PDT conta com cinco, o PR, com quatro, e o PSB tem dois representantes. PcdoB, PP, PRB e PSOL têm um senador cada.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos