Não é possível entrar no século 21 com problemas que já deviam ter sido superados, diz Lula

Paula Laboissière
Da Agência Brasil
Em Brasília (DF)

Ao comentar dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) sobre mortalidade infantil, analfabetismo, sub-registro e agricultura familiar, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que "não é possível que o Brasil entre no século 21 com problemas que já deveriam ter sido resolvidos há muito tempo".

Em seu programa semanal Café com o Presidente, Lula afirmou que vai cobrar dos prefeitos brasileiros maior engajamento com o governo federal na tentativa de amenizar os números registrados no país. Nesta semana - antes que ocorra a tradicional Marcha dos Prefeitos a Brasília - ele vai se reunir com os líderes municipais e ouvir reivindicações.

"São quatro assuntos extremamente importantes e que, sem a participação dos prefeitos, fica muito mais difícil resolvermos. Temos que atacar isso como prioridade. Todos os ministros vão mostrar quais são os problemas que têm nas relações com as prefeituras e vamos tentar corrigir para facilitar a vida dos prefeitos", disse.

Lula voltou a afirmar que apenas por meio do compromisso dos prefeitos é possível fazer com que as políticas públicas cheguem aos municípios com eficácia. Ele avaliou que caso a relação entre governo federal e governo municipal melhore, está convencido de que parte dos problemas que parecem insolúveis estará resolvida.

"É possível se houver essa pactuação entre governo federal e municipal. Precisamos corrigir isso, em uma pareceria com os municípios, com os cartórios, com o Estado e fazer mudanças de lei se for necessário."

Pacto
O presidente Lula também disse hoje que não adianta ficar brigando com prefeitos e governadores e que a idéia do governo federal é pactuar com Estados e municípios. Ele cobrou responsabilidade de cada ente federativo e avaliou que vai ficar tudo mais fácil caso o trabalho seja feito em conjunto.

Sobre o papel dos novos governantes diante dos efeitos da crise financeira internacional, Lula voltou a cobrar dos prefeitos maior agilidade para que as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) sejam concluídas.

"Queremos que essas obras sejam agilizadas, que elas possam andar mais rápido porque, muitas vezes, a demora da licença ambiental, do projeto básico e do projeto executivo faz com que uma obra atrase um ano ou dois. É preciso que a gente trabalhe todo mundo junto", disse, em seu programa semanal Café com o Presidente.

Ele classificou o atual momento vivido pelo Brasil como difícil e afirmou que é preciso gerar mais emprego e mais renda.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos