Julgamento opõe grupo de Lago a rivais ligados a Sarney

Do UOL Notícias
Em Brasília e São Paulo

O julgamento do pedido de cassação de mandato do governador do Maranhão, Jackson Lago (PDT), opõe os dois grupos políticos mais fortes de Maranhão. De um lado está a família do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Do outro, o grupo que apoia o atual governador.

Lago foi acusado de compra de votos e abuso de poder econômico nas eleições de 2006

  • Alan Marques/Folha Imagem

    A ação foi proposta pela coligação de Roseana Sarney (PMDB)

Lago, 75, é histórico rival da família Sarney no Maranhão. Ele governou a capital do Estado por três mandatos: 1989-1992, 1997-2000 e 2001-2002, quando deixou o cargo de prefeito para concorrer ao governo do Estado. Lago, que já havia tentado alcançar o posto em duas oportunidades, foi derrotado, mais uma vez, pelo candidato apoiado pela família Sarney, José Reinaldo Tavares (PSB).

Após a eleição, Tavares rompeu com o grupo de Sarney e apoiou Lago para a sua sucessão. Em 2006, após ficar em segundo lugar no primeiro turno com Roseana, Lago, com o apoio de Tavares, virou a disputa e obteve 51,8% dos votos válidos (1.393.754) contra 48,18% de Roseana, que obteve 1.295.880 votos.

Em dezembro, quando o julgamento foi iniciado, o relator do processo, ministro Eros Grau, apresentou voto favorável à cassação. O ministro Felix Fischer pediu vista do processo.

Lago e seu vice, Luiz Carlos Porto (PPS), foram acusados de abuso de poder econômico e compra de votos nas eleições de 2006, quando venceram, no segundo turno, a então candidata do PFL, Roseana Sarney, hoje senadora pelo PMDB, e seu vice, João Alberto, que também tem mandato de senador pelo PMDB maranhense.

Segundo a acusação, eles teriam distribuído cestas básicas, dinheiro e vale-gasolina em comícios em troca de votos no dia da eleição. A defesa de Lago nega as acusações e afirma que o governador é vítima de um "golpe de Estado pela via judiciária".

No final do ano passado, Roseana descobriu que tem um aneurisma cerebral e deve passar por uma cirurgia. A intenção da senadora é assumir o governo do Maranhão e, em seguida, pedir licença do cargo para poder fazer a operação. Em tese, não há impedimento legal para este procedimento. Caso Roseana não possa assumir o posto, o vice será empossado.

O que você achou da decisão do TSE?

Além da batalha jurídica no TSE, os grupos rivais trocam acusações por meio de veículos de comunicação do Maranhão. No início de fevereiro, o jornal Folha de S.Paulo revelou grampos da Polícia Federal de conversas entre Sarney e seu filho Fernando, que dirige empresas da família e é investigado pela PF.

Na conversa, eles falam sobre o uso de empresas de comunicação da família, a TV Mirante (afiliada da Rede Globo) e o jornal "O Estado do Maranhão", para veicular denúncias contra rivais. Por outro lado, aliados de Sarney no Estado acusam o Lago de utilizar a Secretaria de Comunicação do Estado para financiar veículos de comunicação que atacam a família do presidente do Senado.

*Com informações da Folha de S.Paulo

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos