Sem Belinati, "3º turno" das eleições em Londrina antecipa disputa de 2010

Marcus Vinicius Gomes
Especial para o UOL Notícias
Em Curitiba

Começa oficialmente nesta terça-feira (10) a campanha eleitoral da reedição do segundo turno da disputa pela Prefeitura de Londrina, entre os candidatos Luiz Carlos Hauly (PSDB) e Barbosa Neto (PDT). Marcada para o dia 29 de março, a eleição pode configurar uma prévia ao confronto entre tucanos e pedetistas na sucessão ao governo em 2010 no segundo maior colégio eleitoral do Paraná.

A 369 km de Curitiba, Londrina, no norte do Estado, é a segunda cidade mais populosa do Paraná, com 505 mil habitantes, segundo o IBGE.

O "terceiro turno" foi determinado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) após a impugnação do registro de candidatura do deputado estadual Antonio Belinati (PP), que venceu o segundo turno do pleito de 2008 contra Hauly, com 138.924 votos (51,73%) contra 129.625 (48,27%). O pepista foi acusado de irregularidade em um convênio firmado pela prefeitura em 1999 -período em que exercia o terceiro mandato.

O candidato do PDT

  • Agência Câmara

    Barbosa Neto teme desinteresse do eleitor, com o aumento nas abstenções e votos nulos



Belinati também terminou o primeiro turno em primeiro lugar, mas teve seus votos anulados com a cassação. Como Hauly não obteve mais do que 50% dos votos válidos, mesmo sem serem computados os votos de Belinati, a Justiça Eleitoral entendeu necessário outro segundo turno: entre o segundo colocado, Hauly, e o terceiro, Barbosa Neto.

Prévia de 2010
Partidos da base aliada do governo Lula, com exceção do PMDB, uniram-se em torno da campanha pedetista. Assim, ensaiam um acordo na disputa ao Palácio Iguaçu, com o senador Osmar Dias (PDT) como pré-candidato confirmado. Se a aliança for mantida, Dias terá o apoio do PP, do PTB e do PT, que abriria mão de concorrer ao governo.

Do outro lado, o PSDB de Hauly contaria com apoio do DEM e uma fatia expressiva do PMDB, partido do governador do Estado, Roberto Requião. Requião deve liberar seus correligionários para votar "de acordo com sua consciência", segundo suas declarações mais recentes.

Como há sinais fortes de que o prefeito de Curitiba, Beto Richa (PSDB), dispute o governo do Estado, o confronto entre Hauly e Barbosa Neto já é considerado por dirigentes partidários das várias legendas envolvidas como um ensaio geral ao pleito de 2010.

O candidato tucano

  • Edson Santos/Agência Câmara

    O deputado federal Luiz Carlos Hauly espera que a realização do "terceiro turno" dê mais credibilidade ao jogo eleitoral



Único a confirmar a pré-candidatura ao governo, o senador Osmar Dias tem evitado falar no assunto, para não ser acusado de mentor do racha que se anuncia entre tucanos e pedetistas. Já a aliança formada por 11 partidos que garantiu a reeleição de Richa no primeiro turno em 2008, com 72% dos votos válidos, parece ter convencido o tucanato das possibilidades do partido em 2010.

Presidente do PDT no Paraná, Osmar vem sinalizando com a possibilidade de compor uma coalizão com o PT. Um dos líderes do PSDB no Estado é o senador Álvaro Dias, irmão de Osmar Dias. Oficialmente, no entanto, tucanos e pedetistas não falam sobre o assunto.

A campanha do "terceiro turno"
De acordo com a legislação eleitoral, os candidatos poderão exibir faixas, bandeiras e cartazes nas ruas, distribuir santinhos e panfletos e fazer campanhas utilizando carros de som a partir desta terça.

TSE anulou vitória de Belinati

  • Divulgação

    TSE confirmou impugnação da candidatura de Antonio Belinati (PP) em outubro de 2008



O horário eleitoral no rádio e na TV começa no dia 14 de março e vai até o próximo dia 26. Os candidatos terão direito a dez minutos em cada bloco. No rádio, a propaganda obrigatória será veiculada às 7h e ao meio-dia. Na televisão, às 13h e às 20h30. Além disso, haverá 30 inserções diárias de 30 segundos cada. Estão previstos ainda debates entre os candidatos na Rede Globo, SBT, Band e na rádio CBN.

O TRE (Tribunal Regional Eleitoral) do Paraná informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que deverá gastar R$ 600 mil com a realização do novo segundo turno em Londrina.

Os custos se referem à mobilização de estrutura para a eleição, a convocação de mesários e fiscais e à disponibilização das urnas eletrônicas, entre outros itens.

Desde o dia 1º de janeiro, quando a nova Câmara Municipal de Londrina tomou posse, a Prefeitura de Londrina é comandada pelo presidente da Casa, José Roque Neto (PTB), o Padre Roque. Ele recebeu o cargo de Nedson Micheleti (PT), que permaneceu no cargo por oito anos.

Campanha pelo voto nulo
Por decisão do diretório nacional do PSOL, a sigla fará campanha pelo voto nulo, alegando a ilegitimidade do "terceiro turno" entre Hauly e Barbosa Neto. Os dirigentes entendem que a Justiça Eleitoral deveria convocar um novo pleito, com a participação de todos os candidatos a prefeito.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos