Hauly (PSDB) se diz confiante e critica eleições remarcadas em Londrina

Marcos Cesar Gouvea
Especial para o UOL Notícias
Em Londrina (PR)

O candidato Luiz Carlos Hauly (PSDB), que concorre neste domingo ao cargo de prefeito de Londrina (PR), terceira maior cidade da região Sul do Brasil, criticou em entrevista ao UOL Notícias os tribunais eleitorais, que marcaram nova votação após impugnar o ganhador após a eleição realizada no ano passado (Antonio Belinati, do PP). Hauly tem duas ações no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) em que defende a posse automática do segundo colocado como consequência da cassação do primeiro (o próprio Hauly).

UOL Notícias - Mesmo com as pesquisas eleitorais embargadas, o seu adversário fala em vantagem grande para ele. Como o senhor analisa isso?

Luiz Carlos Hauly
- Olha, a nossa vantagem hoje é de oito pontos, 54% a 46%.

UOL Notícias - De onde são esses números? Pesquisa interna?

Hauly
- Não, nossas enquetes, nossas últimas pesquisas, somando tudo, os números nos dão essa diferença positiva. E é isso mesmo. Nós tivemos 48,3% no segundo turno e não perdemos eleitores. O Belinati mesmo confessa que Barbosa Neto perde 11% do eleitorado dele. 11% de 50,1% dão 5,5%. E 5,5% com 48, 3% dão os 54% dos votos válidos que apuramos hoje.

MAIS SOBRE LONDRINA (PR)

  • Reprodução

    Habitantes: 497.833 (em 2007)
    Eleitores: 328.340
    Candidatos no "3º turno":
    Luiz Carlos Hauly (PSDB) e Homero Barbosa Neto (PDT)

UOL Notícias - O que muda na campanha a decisão de Antonio Belinati tornar de público seu apoio a Barbosa Neto?

Hauly
- A entrada do Belinati não muda nada porque o voto dele já migrou. Ninguém é dono do eleitor. O eleitor decide sozinho. Claro, dos belinatistas mesmo, que somam 36%, uma parte veio para a gente, e a outra parte do eleitorado não tem nada a ver com o Belinati. É o eleitor que votou no (Luis Eduardo) Cheida (PMDB), no André Vargas (PT), no PV do (Marcos) Coli. A eleição teve nove candidatos, eu fiz 24% dos votos e o Belinati fez 36%. Então, os 40% de votos restantes não tem dono. No segundo turno eles se dividiram, foram para um ou para outro.

UOL Notícias - Belinati tem possibilidade de pedir recurso no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a impugnação de sua eleição. Esse "calvário político eleitoral" de Londrina pode ainda não ter terminado?

Hauly
- Preocupo-me com a existência do Tribunal Superior Eleitoral e do Supremo. Nós vivemos no Estado de Direito. Os tribunais eleitorais determinaram um terceiro turno. Nunca mais vai haver e nunca houve um terceiro turno. O que está em jogo aqui não é Londrina nem eu. O que está em jogo aqui é se a Justiça brasileira é séria ou não.

UOL Notícias - Os últimos números em sondagens mostravam um número grande de indecisos. O senhor acha que até domingo há muita gente ainda decidindo?

Hauly
- Os indecisos estão vindo para nós na proporção de 2 por 1. Às vezes, até 4 por 1. Estão vindo em grande número por conta da campanha mais bonita, do debate melhor e da campanha mais honesta. E o povo de Londrina entendeu a diferença das nossas candidaturas. Estabilidade emocional, melhor preparado, capacidade. Eu faço política com Álvaro Dias, Beto Richa. E eles têm um grupo econômico por trás deles. Londrina percebeu tudo isso.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos