Parlamentares querem incluir novos indiciamentos em relatório da CPI dos Grampos

Ivan Richad
Da Agência Brasil
Em Brasília

O voto em separado apresentado hoje (30) pelos deputados Gustavo Fruet (PSDB-PR), Raul Jungman (PPS-PE), William Woo (PSDB-SP), João Campos (PSDB-GO), Vanderlei Macris (PSDB-SP) e Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG) pede que os nomes do ex-diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Paulo Lacerda, e do ministro-chefe do gabinete de Segurança Institucional, General Jorge Félix, sejam incluídos no relatório da CPI das Escutas Telefônicas Clandestinas pela prática de improbidade administrativa.

Além disso, o voto em separado - que se opõe ao relatório do deputado Nelson Pellegrino (PT-BA) - pede também o indiciamento de Daniel Dantas, banqueiro do grupo Opportunity, por interceptação telefônica ilegal.

Segundo Fruet, o relatório da comissão não pode ser omisso em relação às divergências em depoimentos colhidos. Em razão disso, no voto em separado, eles pedem ainda que conste o afastamento de toda a cúpula da Abin e ainda do delegado Protógenes Queiroz - responsável pela operação da PF que apontou tais irregularidades - no decorrer do trabalho da CPI.

Ao reconhecer que será difícil aprovar indiciamentos diferentes daqueles já propostos pelo relator, isso porque a base do governo tem ampla maioria na comissão, Freut sugere que o relatório seja encaminhado ao Ministério Público com as alterações apresentadas no voto em separado para que o órgão se pronuncie.

O presidente da comissão, deputado Marcelo Itagiba (PMDB-RJ), também apresenta voto em separado durante reunião que discute o relatório de Pellegrino nesta manhã.

O relatório final deve ser votado na CPI na próxima semana.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos