Veja nota do Grupo Opportunity sobre pedido de indiciamento contra Daniel Dantas

Em nota, o Opportunity classifica como "arbitrário" o pedido de indiciamento do banqueiro Daniel Dantas, sócio-fundador do grupo, pela CPI das Escutas Telefônicas Clandestinas da Câmara dos Deputados. Após três adiamentos consecutivos, a nova relatora da CPI, deputada Iriny Lopes (PT-ES), decidiu incluir o banqueiro nos pedidos de indiciamento do relatório final da comissão, aprovado nesta quinta (7).

Veja a íntegra a seguir:

"Diante da aprovação do relatório final da CPI das Escutas Telefônicas Clandestinas, que recomenda o indiciamento do sr. Daniel, gostaríamos de fazer os seguintes esclarecimentos:

1) Reforçamos que o sr. Daniel Dantas não responde a nenhum inquérito de interceptação telefônica. A própria Justiça confirma esse fato em correspondência encaminhada à CPI em 25 de março. O documento está sendo, estranhamente, ignorado pelos parlamentares.

2) A origem da Operação Chacal, no âmbito das investigações do caso Kroll, foi considerada uma falsa denúncia pela Procuradoria de Milão, onde Daniel Dantas prestou depoimento na qualidade de testemunha.

3) A Procuradoria de Milão acusa um grupo arregimentado pela Telecom Itália de pirataria, espionagem cibernética (interceptação telemática ilegal) e corrupção.

4) Parte desse grupo agiu no Brasil fazendo interceptações telefônicas ilegais contra Daniel Dantas e seus executivos.

5) O Opportunity fez um acordo com a Telecom Itália e não tem como missão trazer esse inquérito da Procuradoria de Milão para o Brasil.

6) O único objetivo do Opportunity e de Daniel Dantas quanto a esse inquérito da Procuradoria de Milão é esclarecer que as evidências que foram usadas para originar a Operação Chacal foram produtos de fraude.

7) Se a CPI das Escutas Telefônicas Clandestinas quiser apurar de onde vieram essas falsas acusações contra o sr. Daniel Dantas é conveniente examinar o processo italiano, onde existe acusação de fraude e de interceptações ilegais no Brasil. Os crimes foram praticados pelo grupo de espiões arregimentado pela Telecom Itália. O grupo de espiões arregimentado pela Telecom Itália fez o que o acusam o Sr. Daniel Dantas de ter feito

8) O sr. Carlos Rodenburg nunca falou, nem encontrou, o sr. Avner Shemesh.

9) As acusações relativas ao sr. Shemesh nasceram de denúncia anônima, seguindo o modus operandi usual dos lobistas contratados pela Telecom Italia no Brasil. A ação, sem qualquer embasamento, já foi trancada pela Justiça.

10) O Opportunity já encaminhou à CPI todas as provas de que esse indiciamento é arbitrário e não tem correlação com a verdade. Serve para tentar acobertar os que de fato praticaram as alegadas ilegalidades no Brasil.


Opportunity
07 de maio de 2009

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos