Lula critica PSDB e afirma que CPI da Petrobras parece "briga de adolescentes"

Claudia Andrade
Do UOL Notícias
Em Brasília

Atualizado às 14h04

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva comentou nesta sexta-feira (15), antes de partir para uma viagem pela Ásia, a criação da CPI da Petrobras. "Está não é nenhuma CPI do Congresso, é uma CPI do PSDB. Acho estranho que um partido que ficou oito anos no governo e que tem dezenas de governadores tome uma decisão irresponsável como esta", afirmou o presidente.

Caso Petrobras mostra fragilidade

  • Para o jornalista Fernando Rodrigues, o caso Petrobras mostra fragilidade do governo Lula no Senado. Lula nunca teve uma base ampla na Casa, mas a situação piorou após a eleição de José Sarney (PMDB-AP) para a presidência da Casa



Lula comparou a criação da CPI a uma "briga de adolescentes". "Parece briga de adolescente. Neste momento em que estamos viajando o mundo em busca de dinheiro para o pré-sal, alguém levar ideias da CPI da Petrobras é, no mínimo, pouco patriótico", finalizou.

O presidente também lembrou das recentes críticas da oposição às mudanças na poupança. "Até ontem o grande tema deles era a caderneta de poupança. Como nós tomamos uma medida que protege 99% dos brasileiros, eles se voltaram para a Petrobras", disse.

Questionado se a criação da CPI poderia ser uma manobra da oposição tucana para influenciar a disputa eleitoral de 2010, Lula disse não acreditar que haja interesse de algum governador do PSDB na CPI. Para o presidente, a ideia é de algum senador que tem mais um ano e meio de mandato e não tem certeza "se vai voltar".

A ministra da Casa Civil e possível candidata do PT à sucessão presidencial, Dilma Rousseff, também comentou a criação da comissão ao se despedir de Lula na base aérea de Brasília. "Não acredito que nenhum dos possíveis candidatos queira desestabilizar o Brasil". Dilma defendeu a Petrobras e ressaltou que a empresa tem ações na Bolsa de Nova York. "É considerada uma empresa absolutamente limpa. Não se trata de uma discussão a respeito do regime contábil da Petrobras".

A CPI
O requerimento para abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito foi lido em plenário na sessão de hoje e será necessária a retirada de pelo menos seis assinaturas para que a comissão não seja criada. O prazo para retirada das assinaturas acaba à meia-noite de hoje.

O requerimento da oposição pede a investigação de possíveis irregularidades constatadas pela Polícia Federal na Petrobras. A CPI também vai apurar denúncias de sonegação fiscal e supostas irregularidades no repasse de royalties a prefeituras.

O ministro de Relações Institucionais, José Múcio, disse hoje que o governo tentará reverter até o fim do dia a instalação da CPI da Petrobras. O assunto foi tratado durante reunião pela manhã com o presidente, no Palácio do Alvorada.

Enquanto isso, a oposição já pensa nos principais cargos da CPI. O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), defendeu nesta sexta-feira que seu partido fique com a presidência ou a relatoria da comissão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos