Múcio diz que deixar oposição fora do comando da CPI da Petrobras não elevará temperatura das discussões

Yara Aquino
Da Agência Brasil
Em Brasília

O ministro de Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, afirmou hoje (26) que a entrega dos cargos de comando da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras apenas a partidos da base aliada não irá elevar a temperatura das discussões entre a oposição e a base aliada.

"A temperatura será a mesma, o discurso da oposição tem se mantido responsável dentro dessa temperatura, e o do governo tem que se manter dentro da temperatura de quem tem a responsabilidade de governar, construir, gerar empregos", disse Múcio, após participar de reunião do Comitê de Assuntos Federativos.

Ele voltou a defender que escalar a base aliada para a presidência e relatoria da CPI é um modelo antigo, seguido inclusive por governos anteriores. "Em outras ocasiões, as construções foram em cima desse modelo, inclusive nos governo anteriores. A minoria requer e monta a CPI e, na hora de escolher a presidência e a relatoria, é a maioria. Isso é da democracia".

Monitor de escândalos

A situação de cada um dos 58 escândalos no Congresso neste ano

Múcio lembrou que a composição da CPI ainda não está definida e que mesmo que a oposição fique de fora dos postos de comando "todos têm direito à palavra, e os líderes têm assento". Múcio disse ainda que "o governo deseja que absolutamente tudo seja resolvido".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos