Roseana diz que Sarney é bode expiatório; PT decide hoje se apoia presidente do Senado

Claudia Andrade
Do UOL Notícias
Em Brasília

Atualizado às 12h19

Ao sair da residência do pai na manhã desta quarta-feira (1º), a governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB), falou rapidamente com a imprensa sobre a crise no Senado e disse que José Sarney está sendo feito de bode expiatório.

JOBIM E ROSEANA DEFENDEM SARNEY



"A responsabilidade tem que ser de todos os senadores, inclusive minha, que já fui senadora e me incluo também. Tem um ditado que diz que dance quem dance, quem dá pulo é José. Ele está sendo responsabilizado por tudo", afirmou Roseana.

Ela não quis antecipar se o pai pedirá afastamento da presidência do Senado, como defendem vários partidos, incluindo o DEM, que apoiou o peemedebista na eleição à liderança da Casa.

"Isso compete a ele. Estaremos do lado. Ele tem maturidade, muita experiência e sabe o que faz; sempre teve em mente o objetivo maior que é o Brasil e não ele. É uma figura importante para o Senado e para o Brasil e a decisão que fizer será a melhor para o Brasil", disse.

O presidente do Senado reuniu-se com líderes do governo e familiares em sua residência em Brasília para discutir a crise. O deputado federal Sarney Filho (PV-MA) também esteve no local.

Participaram da reunião o líder do PMDB na Casa, Renan Calheiros, e os petistas Aloizio Mercadante e Ideli Salvatti.

Bancada petista
O senador Aloizio Mercadante (PT-SP) afirmou após o encontro que a opinião do presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a crise do Senado tem "peso muito grande", mas que a decisão da bancada compete aos senadores.

"A decisão da bancada compete aos senadores. É evidente que a opinião do presidente tem um peso muito grande, pelo que ele representa para o Brasil, para o PT e para a nossa história, e será considerada por parte dos senadores".

Segundo o petista, durante a reunião foi apresentada a sugestão de se criar uma comissão para apresentar propostas de reforma do Senado. Também foi discutida a crise deflagrada pela série de denúncias divulgadas pela imprensa.

"Viemos fazer esta proposta, fizemos uma análise geral da crise, ele [Sarney] fez uma avaliação dele também e espera o posicionamento da bancada", disse Mercadante, acrescentando que nesta tarde a bancada deve comunicar sua decisão de apoiar ou não a permanência de José Sarney na presidência da Casa.

A assessoria de imprensa de Sarney informou que ele estará no Senado por volta das 16h desta quarta-feira. Há informações de que o presidente Lula teria solicitado a Sarney que só tomasse uma decisão sobre sua permanência ou não no cargo após seu retorno ao Brasil.

O líder do PMDB, Renan Calheiros, também já deixou a reunião. Ele economizou no discurso, disse que não há fato novo e negou ainda a necessidade de espera pelo retorno de Lula ao país para que se tome alguma decisão frente à crise.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos