Renan diz que não haverá partidarização na escolha do presidente do Conselho de Ética

Marcos Chagas
Da Agência Brasil
Em Brasília

O líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou hoje que a eleição para a presidência do Conselho de Ética da Casa "não será partidarizada". Ele confirmou que o conselho se reúne às 15h para instalação dos trabalhos.

De acordo com Renan, o PMDB não impõe qualquer condição para que o conselho eleja hoje (15) seu presidente.

"Quem está colocando pré-condição é a oposição", disse Renan. Segundo ele, o líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), afirmou em plenário que a oposição só vota a LDO [Lei de Diretrizes Orçamentárias] se o Conselho de Ética for instalado hoje.

Renan Calheiros não confirmou a indicação do senador Paulo Duque (PMDB-RJ) para o cargo de presidente. Hoje, os senadores Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) e João Ribeiro (PR-TO) pediram afastamento do conselho. Valadares pretendia ser indicado para a presidência, mas disse que resolveu se afastar porque não havia consenso entre os colegas.

O senador Renato Casagrande (PSB-ES) atribuiu "falta de consenso" à tentativa de alguns grupos de "blindar" o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), alvo de seguidas denúncias de envolvimento em irregularidades. Uma representação partidária - do PSOL - e duas denúncias do líder do PSDB, Arthur Virgílio, já foram enviadas ao Conselho de Ética requerendo a abertura de processos contra Sarney por quebra de decoro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos