Depois de tomar a internet, pressão por saída de Sarney chega à pizzaria

Rodrigo Bertolotto
Do UOL Notícias
Em São Paulo

No peito, um broche com a inscrição "Está cheirando a Pizzarney". No prato, pizza de jabá com o nome de José Sarney e outra de sobremesa chamada Senado, com marmelada e queijo suíço. Diante das câmeras de TV, o grupo grita "Fora Sarney" e "Hoje tem Marmelada". Para as lentes dos fotógrafos, o pizzaiolo coloca nariz de palhaço.

Marmelada, jabá e pizza

  • Rodrigo Bertolotto/UOL

    Pizzaiolo mostra pizza de jabá e outra de marmelada para protestar

  • Rodrigo Bertolotto/UOL

    Manifestação teve até broche com criticando a "Pizzarney"

"É um protesto onírico-gastronômico-humorístico. Onírico porque a gente sonha em tirar o homem de lá. Humorístico porque a nossa manifestação é leve", define Percival Maricato, idealizador do ato que reuniu cerca de 60 pessoas para pedir o afastamento do presidente do Senado após as denúncias de desmandos administrativos e nepotismo.

Coordenador-geral do PNBE (Pensamento Nacional das Bases Empresariais), Maricato foi um dos organizadores do evento que reuniu na noite desta segunda em uma pizzaria no bairro nobre paulistano dos Jardins cerca de 60 empresários e representantes de ONGs (organizações não-governamentais).

Depois da pizzada, Maricato assumiu o microfone para um discurso: "Fizemos um ato de criatividade para exigir de nossos senadores que peçam o afastamento de Sarney. Já convocamos os três representantes paulistas no Senado para dar explicações. A sociedade civil dos outros Estados tem que fazer o mesmo."

A piada predileta entre as mesas era para falar que a pizza com nome do político maranhense era "indigesta". Vice-coordenador do PNBE, Mario Humberg logo emendou: "Indigesto é o Sarney. Há um ditado romano que diz que rindo você castiga os maus costumes. É o que estamos fazendo aqui."

Rosangela Giembinsky, vice-coordenadora da ONG Voto Consciente, concordou com o colega. "É uma maneira engraçada de pedir mais seriedade. É preciso promover o hilário para chamar a atenção e trazer as pessoas para a política", teorizou a representante da organização que fiscaliza os legislativos municipais, estaduais e também o federal.

A PNBE já protagonizou protesto célebre contra outro presidente do Senado. Seus representantes mandaram 81 pizzas (uma para cada senador) para constranger cada um dos senadores, pressionando para afastar o então presidente da Casa, Antônio Carlos Magalhães (1927-2007), em meio ao escândalo da violação das votações. Dois dias depois ACM já não estava mais no cargo.

"A pizza é para confraternização, até mesmo para os corruptos, o que transformou em um símbolo dentro do Brasil", cravou o cartunista Geandré, também presente ao jantar político. Ao seu lado, também protestou Luis Otávio Borges, representante de entidade que luta contra a corrupção. "O duro é engolir os poderes públicos virarem uma máfia", se queixou.

De qualquer forma, o afastamento anterior de ACM mostrou que a punição individual não resolve os problemas do Senado Federal. "Além de afastar Sarney, temos que cortar o orçamento da Casa, que é equivalente ao do município de Porto Alegre, e promover uma reforma política que aumente o controle por parte da sociedade civil", sentenciou Maricato, que promove na próxima semana encontro com juristas e advogados para que atuem em conjunto para pressionar pela deposição de Sarney.

Desde o final de junho, Sarney sofre manifestações que pedem sua saída da presidência do Senado. Notadamente, esses atos se concentraram em sites de relacionamento da rede de computadores, como o Orkut, Facebook e Twitter, além de um site com o título "Fora Sarney".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos