Virgílio vai ao CNJ contra juiz que proibiu divulgação de conversas da família Sarney

Priscilla Mazenotti
Da Agência Brasil

O senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) vai entrar hoje (3) com um pedido no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para que a conduta do juiz Dácio Vieira seja investigada. O magistrado proibiu, na semana passada, o jornal "O Estado de S.Paulo" de divulgar trechos de conversas da família Sarney.

Além da censurar o jornal, o juiz foi consultor jurídico da gráfica do senado da década de 90 e teria efetivado, segundo Virgílio, 82 estagiários sem concurso público. Além disso, o Dácio Vieira foi padrinho de casamento da filha do ex-diretor-geral do Senado, Agaciel Maia.

O senador questiona essa proximidade do juiz com a presidência da Casa. "É uma atitude absurda na democracia. Essas conexões dão à assessoria jurídica [do Senado] embasamento suficiente para ir ao CNJ."

Para Virgílio, o juiz poderia ter se declarado impedido no momento de analisar a ação. "É dolorosamente irônico. A gente percebe que esse grupo [de Sarney] é um centopeia que tem braços e vários lugares."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos