Tucano diz que não assumirá presidência do Senado caso Sarney deixe o cargo

Maurício Savarese
Do UOL Notícias
Em São Paulo

Mais um bate-boca no Senado

O 1º vice-presidente do Senado, Marconi Perillo (PSDB-GO), afirmou nesta quinta-feira (6) em discurso que não assumirá a presidência da Casa mesmo que José Sarney (PMDB-AP) deixe o cargo. Ele afirmou que não almeja ao posto e ainda criticou a representação do PMDB contra o líder do seu partido, Arthur Virgilio (AM).

"Não sou e nem serei o presidente do Senado a partir desse episódio [denúncias contra Sarney]. Não deixarei de cumprir meu papel como vice-presidente. Jamais trabalharia, mesmo que houvesse a possibilidade de ser presidente, para que essa crise se aprofundasse", declarou Perillo.

Caso Sarney se licencie ou renuncie à presidência do Senado, Perillo assumiria o cargo. Interlocutores do Palácio do Planalto afirmaram nas últimas semanas que um dos motivos para manter o senador peemedebista no cargo é impedir que ele terminasse com o oposicionista, duas vezes governador de Goiás e que está em seu primeiro mandato na Casa.

"Ninguém mais do que eu gostaria de ver a paz nesta Casa", afirmou. "Precisamos de uma agenda que possa beneficiar 200 milhões de brasileiros. Defendo a paz. O PSDB propôs a paz aqui ontem. Essa paz foi quebrada pelo próprio partido do presidente Sarney."

Perillo leu uma moção de solidariedade do PSDB a Virgilio. "Volta-se o rancor contra o nosso líder. Ele merece todo o nosso apoio", diz o texto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos