Líder do PT vê possível prevaricação em atitude de Lina Vieira

Claudia Andrade
Do UOL Notícias
Em Brasília

O líder do PT no Senado, Aloizio Mercadante (SP), afirmou nesta terça-feira (18) que a ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira teria prevaricado ao ocultar o suposto encontro que teria tido com a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil). Incorre em prevaricação quem falta aos deveres do cargo. "Ou a senhora prevaricou ou não está falando a verdade", afirmou.

Quem está mentindo?
Lina ou Dilma?


O senador lembrou que ex-secretária interpretou que o pedido para agilizar o processo foi motivado pelas articulações para a eleição à Presidência do Senado. E que, se houve irregularidade, ela deveria ter reportado o fato a superiores.

"Não foi porque não havia irregularidade, foi porque não vi necessidade", respondeu Lina, justificando porquê não comunicou ao ministro Guido Mantega (Fazenda) sobre o suposto encontro.

Na entrevista publicada pelo jornal Folha de S.Paulo no dia 9 de agosto, Lina Vieira disse ter achado que "eles não queriam problema com o Sarney".

"Se a ministra não associou o pedido à eleição do Senado mas a senhora interpretou que a solicitação para agilizar o processo foi feita porque havia uma disputa eleitoral, a senhora tinha obrigação de representar contra a ministra", disse Mercadante.

Em depoimento nesta terça na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado, Lina Vieira confirmou ter tido um encontro particular com a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil), no qual a ministra teria pedido agilidade na conclusão de investigações de empresas ligadas à família Sarney. Admitiu ainda que, no momento da entrevista, deu sua interpretação sobre o pedido. "Eu suponho que tenha sido por isso (por causa das eleições à presidência do Senado)".

Mercadante questionou a veracidade do depoimento de Lina Vieira. "Como é que os jornalistas sabiam do encontro, se a senhora disse que não falou com ninguém? A ministra Dilma nega o encontro e a senhora diz que não reportou a ninguém". "Há contradição em seu depoimento".

"Isso tem que falar com eles (os jornalistas)", respondeu a ex-secretária, que disse ter sido procurada pelos repórteres da Folha de S.Paulo para confirmar uma informação que eles já tinham sobre o encontro.

Lina Vieira diz ter achado "incabível" o pedido que a ministra Dilma teria feito. "Achei o pedido incabível porque a Receita trabalha com critérios objetivos e impessoais. Somos servidores públicos de carreira, não estamos ali para atender ao governo A, B ou C".

A ex-secretária confirmou também que não deu retorno a Casa Civil sobre o assunto, e também "não foi cobrada" a respeito.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos