Marina diz que PV nos Estados deve ser coerente com a candidatura presidencial

Guilherme Balza*
Do UOL Notícias
Em São Paulo

Mesmo sem confirmar se disputará as eleições presidenciais de 2010, Marina Silva, que assinou sua filiação ao PV (Partido Verde) neste domingo (30), afirmou que as posições políticas e programáticas do partido nos Estados devem ser coerentes com a possível candidatura presidencial no ano que vem. A afirmação foi feita após a senadora ter sido questionada se irá interferir na política de alianças do PV nos Estados . "As alianças são heterogêneas em todos os partidos. O PV está fazendo uma revisão programática e se reestruturando políticamente. Se o partido tiver uma candidatura, os palanques [nos Estados] devem estar comprometidos com a direção nacional", disse.

O presidente nacional do partido, José Luiz de França Penna, criticou aqueles que acusam o PV de ser um partido fisiológico. "Se cobra do PV uma coerência que não é cobrada de outros partidos", afirmou. "O partido tem rigor, o país é que não é tão rigoroso assim", acrescentou.

Para o deputado Alfredo Sirkis, um dos fundadores do PV, no Brasil há dois caminhos possíveis para os partidos pequenos: "Ou se torna um partido exclusivamente de protesto ou então se tenta emplacar aspectos do seu programa em coligações. O Brasil é gigantesco e inevitavelmente temos situações de alianças que contrariam a linha do partido", concluiu.

O deputado federal Fernando Gabeira (RJ), um dos fundadores do PV (Partido Verde), disse que o partido começará um novo programa a partir da chegada da senadora Marina Silva (AC) à sigla.

"Nós vamos começar um novo programa. Vamos tentar ser mais rigorosos com os candidatos nos Estados. Queremos candidaturas mais expressivas."

Com Marina, disse Gabeira, o PV deverá obter mais unidade em seu programa. "Eu acho que a chegada dela [Marina] vai contribuir muito para que a gente possa corrigir os erros do passado", afirmou o deputado, durante cerimônia de filiação da senadora do Acre ao PV, em São Paulo.

Marina deixou o PT na semana passada e agora discute sua possível candidatura à Presidência da República pelo PV. Depois de anunciar sua saída do PT, a senadora divulgou carta enviada à presidência do partido na qual afirma que a decisão foi tomada por conta das dificuldades em fazer o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva se preocupar tanto quanto deveria com as questões ambientais.

Com direito a plateia de cerca de mil pessoas e clima de comício, a senadora Marina Silva (AC) assinou sua filiação ao PV em cerimônia realizada durante encontro nacional do partido, em uma casa de eventos na zona oeste de São Paulo.

*Colaborou a redação do UOL Notícias

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos