Governo desiste de enviar ao Congresso marco regulatório do pré-sal em regime de urgência

Carolina Pimentel
Da Agência Brasil
Em Brasília

O governo não enviará mais ao Congresso o marco regulatório para a exploração do petróleo do pré-sal em regime de urgência constitucional. A informação foi dada pelo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão.

Mais cedo, Lobão havia informado que o regime seria de urgência. Segundo ele, a mudança foi sugerida pelo governador de São Paulo, José Serra (PSDB), durante jantar com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os governadores do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), e do Espírito Santo, Paulo Hartung (PMDB), no domingo, no Palácio da Alvorada.

Serra argumentou que era preciso mais tempo para o Legislativo analisar as regras do pré-sal. "O presidente da República poderá, no curso da votação do projeto, solicitar urgência. Isso daqui a 30 dias, 40 dias, a juízo do presidente", disse Lobão, após o jantar.

O ministro informou que será encaminhado um projeto com o modelo regulatório ao Congresso. A mensagem de encaminhamento será entregue por Lula ao presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer (PMDB-SP), hoje (31) durante o lançamento oficial do marco regulatório, marcado para as 15h.

O ministro informou também que a estatal que administrará a exploração de petróleo da camada pré-sal se chamará Petrosal.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos