Presidência do Senado diz ter recebido apoio de líderes para transferir servidores

Claudia Andrade
Do UOL Notícias
Em Brasília

Em nota divulgada nesta sexta-feira (25), a presidência do Senado indica os líderes que apoiaram a decisão de acabar com o veto à lotação de funcionários para os gabinetes estaduais. E nega que o fim da proibição significará aumento de gastos.

O ato definia que funcionários efetivos do Senado e comissionados vinculados à própria Mesa Diretora e aos gabinetes das lideranças ficariam proibidos de exercerem função nos gabinetes estaduais. Nesta quinta-feira (24), a Mesa Diretora acabou com a proibição e definiu que três assessores poderiam ser deslocados nos casos de líderes e integrantes da Comissão Diretora.

A solicitação para que a proibição fosse derrubada veio das lideranças do PMDB, PDT, PSB, PCdoB, PP e PRB, em nota enviada ao presidente José Sarney (PMDB-AP). A liderança da minoria também assinou o documento. A proibição havia sido definida pela Mesa Diretora em agosto deste ano.

"Os líderes, à exceção do PSDB, DEM, PSOL e PT, solicitaram, em virtude de casos concretos, que essa proibição, já há anos sendo exercida discricionariamente, fosse derrubada", diz nota. "Por decisão unânime, a Mesa acolheu a solicitação dos líderes, sujeitando-os a uma limitação de apenas três funcionários".

O texto afirma que funcionários já estão nos Estados e, portanto, não haveria criação de cargos, nem aumento de despesas. "Apenas é mantida uma situação já existente".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos