Lula visita obras no rio São Francisco em "Estados problema" para eleições 2010

Maurício Savarese
Guilherme Balza
Do UOL Notícias
Em São Paulo

O segundo e o quarto maiores colégios eleitorais do país foram destino nesta quarta-feira (14) da comitiva do presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas visitas às obras da transposição do rio São Francisco. Comum a Minas Gerais e Bahia: sobram discórdias entre PT e PMDB, dificultando a montagem de palanque único para a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, provável candidata pelo campo governista.
  • Arte UOL

    Lula e comitiva percorrem três Estados até sexta-feira (16) visitando obras do rio São Francisco


A primeira parada da caravana em ritmo de campanha eleitoral foi em Buritizeiro (MG), cidade administrada pelo PT e na qual as obras mal caminharam até agora. Depois, duas cidades baianas: Barra e Xique-Xique. Lula termina o dia em seu Estado natal, Pernambuco, na cidade de Arcoverde.

A comitiva foi formada pelo presidente, Dilma e os ministros Geddel Vieira Lima (Integração Nacional) e Márcio Fortes (Cidades), além do deputado, presidenciável e ex-ministro Ciro Gomes (PSB-CE). O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, também faria parte da comitiva na etapa mineira da viagem, mas um desencontro impossibilitou a participação do tucano, de acordo com sua assessoria.

Minas Gerais vê disputa entre dois petistas, o ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel e o ministro do Desenvolvimento Social, Patrus Ananias, para enfrentar nas eleições estaduais o líder das pesquisas e ministro das Comunicações, Hélio Costa (PMDB). A possibilidade de acordo, dizem petistas e peemedebistas, é pequena.

Você acha que a viagem de Lula e Dilma é eleitoreira?


Na Bahia, o neolulista Geddel, titular da pasta responsável pelas obras do São Francisco, rompeu publicamente com o governador Jaques Wagner (PT), a quem ajudou a eleger em 2006. Eles devem disputar votos no ano que vem em um clima de animosidade que o próprio Lula até agora não conseguiu conter.

O presidente afirmou que a viagem serve para mostrar que um projeto de Dom Pedro 2º finalmente sairá do papel, ainda que não tenha feito parte das promessas de campanha. Logo depois de pousar na primeira etapa da viagem, Lula tirou fotos com Dilma, Aécio e Ciro Gomes juntos.

Aécio e Lula não sobem no mesmo palanque conforme previsto
Um suposto desencontro na agenda do presidente Lula e do governador de Minas Gerais, Aécio Neves, impediu que ambos subissem juntos ao mesmo palanque na manhã desta quarta-feira (14), em Buritizeiro (MG), cidade sob administração do padre petista Salvador Raimundo Fernandes.

Dilma e Ciro "têm vocação para serem cantores solo"


O governador viajou a Pirapora (MG), que fica na margem oposta a Buritizeiro, no rio São Francisco, para receber o presidente. O esperado era que Aécio cruzasse o "Velho Chico" e participasse junto com o presidente de uma cerimônia no município, prevista na agenda presidencial, mas o governador preferiu permanecer em Pirapora, governada por Warmillon Fonseca Braga, do Democratas.

Segundo a assessoria de Aécio, a não ida do governador a Buritizeiro foi motivada por uma alteração da agenda presidencial que teria retirado uma cerimônia em Pirapora do roteiro da comitiva "em cima da hora". Diante da mudança, o governador teria optado por permanecer em Pirapora.

A assessoria da Presidência nega que tenha ocorrido uma alteração súbita na agenda e afirma que a comitiva sequer cogitou realizar um evento em Pirapora. A assessoria diz ainda que o município só seria utilizado para o deslocamento da comitiva, por possuir um aeroporto, e que a agenda foi fechada ontem, às 21h, como de praxe.
  • Ricardo Stuckert/Presidência da República

    O presidente Lula posa para foto com presidenciáveis: o deputado Ciro Gomes (esq.), a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e o governador de Minas Gerais, Aécio Neves, durante visita às obras de integração do rio São Francisco; Aécio recebeu o presidente em Pirapora (MG), mas não subiu no mesmo palanque eque o presidente

Ambas as assessorias negaram que questões eleitorais tenham relação com o fato de Lula e Aécio não terem subido no mesmo palanque.

Único oposicionista do encontro, embora com próximo diálogo com Lula, Aécio afirmou que não considera a viagem eleitoreira. "O presidente busca viabilizar uma candidatura no seu campo, é natural. Uma candidatura que ainda não teve nenhum desafio eleitoral. Vejo isso como parte do jogo democrático e felizmente vivemos em uma democracia".

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já recebeu representações contra o PT, o presidente Lula e a ministra Dilma, acusados de campanha antecipada para as eleições de 2010, mas todas até agora foram negadas. Oposicionistas falam em voltar à Corte por conta da viagem da comitiva presidencial à região do São Francisco.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos