Às lágrimas, Alencar recebe homenagem na Fiesp

Maurício Savarese
Do UOL Notícias
Em São Paulo

Atualizada às 00h25

Em uma cerimônia que contou com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, governadores, parlamentares e líderes empresarias do Brasil e do exterior, o vice-presidente José Alencar tornou-se nesta segunda-feira (9) o primeiro não paulista a receber o título de presidente emérito da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo). Emocionado, o mineiro afirmou que a homenagem foi generosa para seu papel "modesto, mas dedicado" na sociedade brasileira.
  • Rodrigo Paiva/Folha Imagem

    O presidente Lula dá um abraço emocianado em José Alencar após discursar na entrega do título de presidente emérito da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) ao vice-presidente



Acompanhado de familiares, Alencar, que há anos enfrenta uma batalha contra o câncer, chorou ao ver o depoimento de amigos e receber a mais alta honraria da Fiesp, a Ordem do Mérito Industrial. Ouviu também o "querido amigo" Lula dizer que encontrá-lo foi "uma dádiva".

"Não tinha porque eu demorar quase 70 anos para te conhecer. A gente poderia ter se encontrado antes. Quem sabe eu não tinha perdido tanta eleição", brincou o petista, que quebrou o protocolo e discursou antes do vice. "Ele é um pouco mais à esquerda do que eu. Eu virei um sindicalista mais conservador e ele um empresário mais esquerdista", brincou Lula. Alencar é um insistente crítico das altas taxas de juros no país.

A cerimônia foi prestigiada por quase todos os pré-candidatos à Presidência da República - a exceção foi a senadora Marina Silva (PV-AC). Os governadores tucanos, José Serra (São Paulo) e Aécio Neves (Minas Gerais), o deputado Ciro Gomes (PSB-CE) e a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT) abraçaram o vice-presidente.

Lula, Serra e o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, discursaram e exaltaram Alencar como empreendedor - ele é dono da empresa têxtil Coteminas -, líder empresarial e político. Mas o tom mais intimista foi o do presidente. "Não são poucas as vezes que tomando um gole a gente fala da vida e começa a chorar", afirmou o mandatário.

Em tom de brincadeira, o presidente afirmou que "aguentaria mais cinco anos de mandato com Alencar", o que fez seu vice gargalhar. Depois, Lula disse que o mineiro, de infância pobre como a sua, foi "mais companheiro na época das vacas magras do que na das vacas gordas".

Lula creditou ao vice sua vitória nas eleições presidenciais de 2002 e afirmou que Alencar "tem metade da responsabilidade que eu tenho por estarmos governando há sete anos". O vice-presidente foi visto na primeira vitória do petista como uma garantia de que, se eleito, não haveria ruptura com o capital industrial do Brasil.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos