Com saída da oposição, presidente e relator avaliam se CPI da Petrobras continua

Marcos Chagas
Da Agência Brasil
Em Brasília

Com a decisão anunciada pelo PSDB e Democratas (DEM) de abandonar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, do Senado, o presidente do colegiado, João Pedro (PT-AM), fará uma reavaliação com o relator, Romero Jucá (PMDB-RR), para decidir se os trabalhos continuarão até fevereiro de 2010 ou se encerram ainda este ano. À Agência Brasil, João Pedro afirmou que será analisado se os pontos da investigação requerida pela oposição já foram atendidos.

Hoje está prevista uma audiência pública com o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli. Senadores do PSDB e do DEM marcaram para o meio-dia uma entrevista coletiva, quando anunciarão as representações que vão encaminhar ao Ministério Público para que as investigações de contratos e denúncias de superfaturamentos na estatal, entre outras, sejam levadas adiante.

"A CPI é uma farsa. O que faremos é antecipar uma espécie de relatório paralelo encaminhando ao Ministério Público fatos que conseguimos identificar como ilícitos ou suspeito de fraudes", afirmou o vice-líder do PSDB, Álvaro Dias (PR), autor do requerimento de criação da comissão parlamentar de inquérito. Segundo ele, numa única reunião a base do governo rejeitou 66 requerimentos apresentados pela oposição.

O presidente da CPI rebateu as afirmações do senador tucano. Segundo João Pedro, vários requerimentos foram aprovados. Ele acrescentou que a comissão tomou depoimentos, por exemplo, de delegados da Polícia Federal envolvidos em investigações de denúncias de irregularidades em contratos da estatal, e de dirigentes do Tribunal de Contas da União (TCU), da Petrobras e da Agência Nacional do Petróleo (ANP).

João Pedro ressaltou que, pela primeira vez em uma CPI do Senado, os documentos requeridos, exceto os de caráter sigilosos, foram disponibilizados na página oficial da Casa na internet. O parlamentar criticou a iniciativa do DEM e do PSDB. Para ele, os senadores cometem "um grave erro" ao não concluírem os trabalhos da comissão.

"A oposição está trabalhando apenas com o aspecto político. Da nossa parte, vamos realizar a oitiva prevista para hoje, que é ouvir o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli", afirmou o presidente da CPI. O parlamentar acrescentou que a comissão de inquérito é do Senado e não do governo, apesar das críticas do colega do PSDB, que acusa a base aliada de "blindar" as investigações.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos