No Congresso, Minc elogia agricultores brasileiros

Da Agência Câmara

Em audiência pública da comissão especial que analisa as propostas de novos códigos Ambiental e Florestal, o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, disse há pouco que o Brasil vai levar para a convenção sobre o clima em Copenhague (Cop-15) uma contribuição de expressão e, ao contrário do que afirmava antes, elogiou o setor agrícola brasileiro. Em maio, durante a marcha "O grito da Terra", o ministro criticara a bancada ruralista e o agronegócio.

Segundo Minc, depois da redução do desmatamento em 7 mil km² neste último ano, a agricultura vem a seguir como a maior contribuinte da redução de poluentes por meio de três vias - o plantio direto, a integração da lavoura com a pecuária e a recuperação de áreas degradadas.

Tolerante
Relator do Projeto de Lei 1876/99, do ex-deputado Sérgio Carvalho, que propõe um novo Código Florestal em substituição ao atual (Lei 4.771/65), o deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) observou que agora o ministro se mostra "mais tolerante e flexível" para a realidade do campo no Brasil.

Em recentes audiências públicas em alguns estados do País, Aldo disse que ficou estarrecido e chocado com o que viu em Rondônia, no Pará e em Mato Grosso. Segundo ele, a população local está aterrorizada pela legislação ambiental, cujas restrições colocam os produtores na ilegalidade e, por isso, não conseguem ter crédito. Para Aldo, a legislação não pode proteger o pequeno produtor e quebrar o grande. "A lei não pode inviabilizar a produção da agricultura porque isso poder criar um movimento de insatisfação política".

Em resposta a Aldo, Minc observou que o código ambiental não foi uma proposta do movimento ambientalista, pois a lei tem 44 anos. Minc concordou com as questões levantadas por Aldo, porque afirmou conhecer realidade desses estados. "Não pretendemos inviabilizar o grande produtor com as leis ambientais." Ele lembrou que a regularização fundiária é uma questão básica para as esquerdas, pois sabe a importância da reforma agrária.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos