Lideranças do DEM se omitem sobre mensalão do DF em redes sociais

Do UOL Notícias
Em São Paulo

Algumas das principais lideranças do DEM evitaram comentar sobre o escândalo do "mensalão do Distrito Federal" em blogs e redes sociais da internet. Com exceção de Ronaldo Caiado (GO) e Agripino Maia (RN) - líderes do partido na Câmara dos Deputados e no Senado, respectivamente -, que fizeram comentários na rede de microblogs Twitter, senadores, deputados, prefeitos e figuras de destaque entre os democratas se omitiram.

Até as 16h desta segunda-feira (30) não havia qualquer referência ao "mensalão" do DEM no portal oficial do partido, assim como nos portais Mulheres Democratas, Juventude Democrata e Democratas no Senado.

O assunto é abordado somente no Blog Democrata, no qual há quatro postagens sobre o escândalo - a breve nota oficial do partido, a análise de Cesar Maia sobre o caso, além de declarações protocolares do deputado federal Rodrigo Maia (RJ), presidente nacional do partido, e de Agripino Maia.

O deputado afirmou, em postagem feita no sábado (28), que o partido só irá se posicionar quando tomar conhecimento total das investigações em andamento no Superior Tribunal de Justiça (STJ). "O STJ está fazendo as investigações e vamos esperar a apuração. Temos total confiança no governador José Roberto Arruda".

Na mesma linha, Agripino afirmou: "Não conheço as denúncias, sei que é sobre licitações envolvendo os secretários. Portanto, até que surjam fatos posteriores, o Partido mantém a confiança no seu governador", disse o senador na sexta-feira (27). No Twitter, Agripino postou mensagens com links para a nota oficial do DEM e afirmou que "se erros foram cometidos, o partido não pode acolher estes erros".

Já Ronaldo Caiado postou oito mensagens no Twitter, nas quais disse que as denúncias precisam ser investigadas e os culpados punidos. O parlamentar afirmou que Arruda tem o direito e o dever de se defender e que o DEM não "vai empurrar nada para baixo do tapete".

"O Democratas não vai se portar como o PT. Se houve erro, haverá punição de acordo com o que uma democracia prevê (...) As explicações do governador Arruda devem ser convincentes e esclarecedoras. É o que o Democratas exige", disse.

Os senadores Demóstenes Torres (GO), Kátia Abreu (TO) e Rosalba Ciarlini (RN), todos com perfil no Twitter, não tocaram no assunto, assim como os deputados Rodrigo Maia e ACM Neto. Demóstenes, Abreu e o senador Marco Maciel (PE) também não se manifestaram sobre o escândalo em suas páginas pessoais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos