Oposição quer governo do DF nas mãos do Tribunal de Justiça

Maurício Savarese
Do UOL Notícias *
Em São Paulo

Comente as denúncias de corrupção no governo do DF


Líderes que fazem oposição ao governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, vão se reunir nesta segunda-feira (30) para defender o afastamento não apenas do principal ocupante do Palácio do Buriti, mas também o vice-governador Paulo Octávio e o presidente da Câmara Legislativa, Leonardo Prudente. Os três políticos do DEM estão envolvidos em um escândalo de compra de apoio político denunciado pela Polícia Federal. Todos eles negam ter cometido irregularidades.

O presidente do PT local, Chico Vigilante, já defendeu que assuma o governo o presidente do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, Nívio Geraldo Gonçalves. Parlamentares do DEM na Câmara Legislativa já disseram à direção nacional do partido que têm dúvidas sobre se essa é a melhor saída a um ano das eleições.

De acordo com interlocutores do presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ) no caso de afastamento dos três políticos afetados pelas denúncias também há a possibilidade de realizar novas eleições na Câmara Legislativa, embora vários parlamentares da casa tenham sido afetados pela Operação Caixa de Pandora. O PT-DF já afirmou ser contra essa manobra.

Vários membros do DEM já pressionam pela expulsão de Arruda da legenda caso ele não dê "explicações convincentes" nesta segunda-feira, de acordo com o líder da sigla no Senado, José Agripino Maia (RN).

O governador nega as acusações, disse no domingo ser vítima de manipulação política e alega que o dinheiro que recebe no vídeo divulgado na imprensa serviria para pagar panetones para doar aos pobres. Arruda vai se explicar nesta segunda-feira, às 14h, à cúpula de seu partido sobre as denúncias. Ele passou este domingo telefonando para os colegas.

Denúncia
Arruda, Octávio, assessores do governo do DF, deputados distritais e empresários estão no centro das denúncias que apontam um suposto esquema de corrupção com superfaturamento de contratos, irregularidades em licitações e pagamentos de propinas. Segundo a Polícia Federal, cerca de R$ 600 mil foram arrecadados de empresas privadas que mantêm contratos com o governo do Distrito Federal.

Arruda afirmou que as imagens são do período da sua campanha de 2006, quando recebia recursos para repassar aos que trabalhavam com ele. De acordo com as explicações do governador, tudo foi relatado ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e também ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

No microblog Twitter, o líder do DEM na Câmara, Ronaldo Caiado (GO), avisou que se for constatada irregularidade, haverá punição. "O Democratas não vai se portar como o PT. Se houve erro, haverá punição de acordo com o que uma democracia prevê. O Democratas exige seriedade sempre. Não vamos empurrar nada para baixo do tapete. São denúncias graves".

* Com informações da Agência Brasil

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos