Deputado citado em esquema de corrupção no DF deixa presidência da CCJ

Carolina Pimentel
Da Agência Brasil
Em Brasília

O deputado distrital Rogério Ulysses (PSB) informou há pouco, por meio de nota, o seu afastamento da presidência da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Legislativa do Distrito Federal. Ele teve seu nome citado na Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, que investiga o suposto esquema de pagamento de propina pelo governador do DF, José Roberto Arruda (DEM), em troca de apoio de parlamentares.

Rogério Ulysses disse que tomou a decisão para evitar qualquer tipo de constrangimento durante as investigações da PF. O deputado distrital afirmou ainda que está disposto a abrir seus sigilos bancário, fiscal e telefônica para colaborar com o trabalho da polícia. Ele informou também que pediu ao PSB a criação de um conselho de ética para que possa esclarecer os fatos que o relacionam ao esquema de corrupção.

Na nota, distribuída há pouco para a imprensa, o parlamentar nega que qualquer participação no suposto esquema de recebimento de propina, denunciado pelo ex-secretário de Relações Institucionais do governo Arruda, Durval Barbosa. O deputado ressalta que não aparece em nenhuma das gravações feitas por Durval, que mostram o próprio governador, distritais, secretários e assessores recebendo dinheiro.

"Lamentavelmente, tive meu nome citado uma vez em uma conversa de terceiros, sem a minha presença e em um contexto confuso no submundo da política local', disse, na nota, o parlamentar.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos