Temer desqualifica denúncia de que teria recebido caixa 2 da Camargo Corrêa

Claudia Andrade
Do UOL Notícias
Em Brasília

O presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer (PMDB-SP), classificou de "infâmia" a denúncia de que ele teria recebido dinheiro não declarado da construtora Camargo Corrêa em 1998. Temer disse que a única contribuição que recebeu da empresa foi oficial, no valor de R$ 50 mil.

Camargo Corrêa deu propina a 200 políticos, diz PF

Segundo a reportagem, estão na lista deputados federais, secretários municipais e conselheiros e ministros de Tribunais de Contas



"Reajo com muita indignação, com a mais extraordinária indignação. Se eu pudesse expressar em um grito fantástico a minha indignação, a minha revolta com esse fato, eu faria", disse Temer.

O presidente da Câmara disse que mandou averiguar as possíveis contribuições que teria recebido da empresa e viu apenas "uma única contribuição oficial, nessa última campanha, no valor de R$ 50 mil".

"Eles tanto me conhecem, que meu nome está errado. Pra vocês terem uma ideia de como eu conheço a gente da Camargo Corrêa", acrescentou, referindo-se à grafia do seu sobrenome na lista, que estaria como "Themer".

A lista que inclui o nome de Michel Temer faz parte de uma planilha encontrada na casa de um membro da diretoria da empresa Pietro Bianchi pela Polícia Federal, no âmbito da Operação Castelo de Areia. A operação investiga a empreiteira por crimes como lavagem de dinheiro.

"Fiquei muito entristecido com esse fato. É uma infâmia. Precisamos acabar com isso", reclamou Temer, ressaltando não ter qualquer relação com a Camargo Corrêa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos