Documentos apreendidos pela PF podem revelar fatos mais graves no DF, afirma procurador-geral

Lísia Gusmão
Repórter da Agência Brasil
Em Brasília


Os documentos apreendidos pela Polícia Federal (PF) na Operação Caixa de Pandora podem revelar fatos mais graves do esquema de corrupção que envolve o governo do Distrito Federal, afirmou hoje (10) o procurador-geral da República, Roberto Gurgel. Segundo ele, o Ministério Público Federal aguarda a análise do material para decidir se haverá necessidade de novas apreensões para sustentar o inquérito.

"Por enquanto, o que foi revelado traça mais ou menos as balizas do que nós temos, mas não afasta, evidentemente, a hipótese de a análise do material apreendido, além de outras diligências que o Ministério Público está realizando, poderem levar a um quadro ainda mais amplo de fatos mais graves", disse Gurgel.

O procurador-geral da República lamentou o fato de haver necessidade de "recibos firmados" para que a corrupção seja punida. Mas, no caso que envolve o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM), e deputados distritais nas denúncias de recebimento de propina, Roberto Gurgel acredita que a força das imagens fará a diferença. "Este caso é diferente. Nele, aparecem imagens que são absolutamente impressionantes."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos