Não podemos ser reféns do tempo, diz Aécio ao desistir de concorrer à Presidência

Rayder Bragon*
Especial para o UOL Notícias
Em Belo Horizonte

Atualizada às 16h53

E agora, como fica a sucessão presidencial?

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), desistiu de tentar a indicação do partido para concorrer à Presidência da República em 2010. O anúncio foi feito pelo governador, por meio de uma nota à imprensa, na tarde desta quinta-feira (17) em Belo Horizonte.

Aécio fala sobre desistência de candidatura

"O que me propunha (era) tentar oferecer (algo) novo ao nosso projeto, no entanto, estava irremediavelmente ligado ao tempo da política, que, como sabemos, tem dinâmica própria. E se não podemos controlá-lo, não podemos, tampouco, ser reféns dele. Sempre tive consciência de que uma construção com essa dimensão e complexidade não poderia ser realizada às vésperas das eleições", disse Aécio. O governador leu o pronunciamento ao lado do senador e presidente do PSDB, Sérgio Guerra, e do vice-governador Antônio Augusto Anastasia.

Com isso, o governador de São Paulo, José Serra, passa a ser o único pré-candidato do PSDB à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Serra quer adiar até março - prazo para deixar o governo - o anúncio da candidatura, o que contrariava Aécio, que pressionava o partido para definir seu candidato até dezembro.

O partido Democratas - cogitado para indicar o vice na chapa - também tem pressionado Serra a lançar a pré-candidatura.

  • Divulgação

    José Serra (esq.) e Aécio Neves disputavam a candidatura à Presidência da República do PSDB

Ao desistir da Presidência, Aécio deve se candidatar a uma cadeira no Senado em 2010. Publicamente, o mineiro rejeita a ideia de integrar a candidatura a vice numa chapa com Serra.

Em todas as pesquisas de opinião divulgadas ao longo do ano, José Serra está na liderança na corrida ao Planalto, seguido pela ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, pré-candidata do PT à Presidência.

Aécio não teria tempo para viabilizar seu nome nacionalmente, diz analista

Falta de tempo hábil para viabilizar seu nome em nível nacional, necessidade de se engajar na eleição em Minas Gerais e insatisfação com a demora do PSDB em definir seu candidato à sucessão presidencial. Para o analista político Fernando Abrúcio, esses três fatores foram determinantes para a decisão do governador de MG, Aécio Neves, desistir de disputar a eleição de 2010.

O governador José Serra evitou comentar a desistência do colega de partido em evento público na tarde desta quinta-feira. Geraldo Alckmin, secretário de Serra e candidato derrotado ao Planalto pelo PSDB em 2006, presente no mesmo evento, também não conversou com jornalistas.

O presidente do PSDB elogiou a atitude de Aécio. "Quero dizer a vocês que o partido entende o gesto do governador como gesto do tamanho do governador. Com equilíbrio, solidariedade, no sentido da convergência, e que essa convergência vai prevalecer. Vamos continuar juntos e vamos ganhar a eleição do ano que vem" , disse Guerra.

"Deixo a partir deste momento a condição de pré-candidato do PSDB à Presidência da República, mas não abandono minhas convicções e minha disposição para colaborar, com meu esforço e minha lealdade, para a construção das bandeiras da Social Democracia Brasileira", completou. "Busco contribuir, dessa forma, para que o PSDB e nossos aliados possam, da maneira que compreenderem mais apropriada, com serenidade e sem tensões, construir o caminho que nos levará à vitória em 2010."

Guerra disse ainda: "Sem dúvida, o PSDB tem nele [Aécio] um grande quadro, e o Brasil nele, um grande homem público".

Carreira
Em 2010, Aécio encerra seu mandato à frente do governo de Minas. Ele foi reeleito no primeiro turno em 2006. Antes de chegar ao governo, chegou à presidência da Câmara dos Deputados.

Aécio é neto de Tancredo Neves, presidente eleito pelo voto indireto em 1985, mas que morreu antes de assumir o cargo, dando lugar ao hoje senador José Sarney (PMDB-AP).

*Com informações do UOL Notícias, em São Paulo

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos