Brasil assina acordos bilaterais com o Catar

Do UOL Notícias*
Em São Paulo

Tolerância e esperança foram o tom dos discursos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do emir do Catar, xeque Hamad Bin Kalifa Al Thani, durante a cerimônia de assinatura de uma série de acordos bilaterais - sobre serviços aéreos, formas de evitar dupla tributação dos lucros do transporte aéreo internacional, isenção de vistos em passaportes oficiais e diplomáticos e cooperação econômica e comercial - realizados no Palácio Itamaraty.

Lula ressaltou que "o espírito de esperança" foi o que levou o Brasil a atuar desde 2004 no Haiti, em parceria com as Nações Unidas.

"No momento em que enfrentamos as trágicas consequências do terremoto que se abateu sobre aquele país irmão, somos reconhecidos pela pronta disposição do Catar em contribuir com ajuda emergencial", disse o presidente Lula.

Ele falou sobre o envio de equipes para ajudar a socorrer os haitianos após os terremoto da semana passada e agradeceu a disposição do Catar em também contribuir. "Essa vocação de solidariedade também nos aproxima na busca de alternativas para o conflito no Oriente Médio", destacou Lula.

O presidente reafirmou a defesa do Brasil pela criação de um Estado Palestino "viável" que possibilite a coexistência segura com Israel.

Lula anunciou que fará em maio visitas a Israel e ao Catar.

Do ponto de vista econômico, o presidente brasileiro destacou o fato de o comércio entre Brasil e Catar ter ultrapassado os US$ 440 milhões em 2008. Ele reconheceu, entretanto, que o país árabe ainda permanece pouco conhecido pelos exportadores brasileiros.

Por outro lado, o presidente destacou que o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016, além da solidez do mercado financeiro nacional, são oportunidades de negócio para os empresários árabes.

O xeque, por sua vez, destacou o forte papel do Brasil no continente americano e no mundo e daí sua importância de apoio ao processo de paz no Oriente Médio.

Sobre o aspecto econômico, Al Thani afirmou que os dois países têm interesses comuns para ampliar os investimentos. Ele destacou o empenho do presidente Lula no desenvolvimento de ações para aumentar as relações entre Catar e Brasil. O xeque também reafirmou o apoio às ações humanitárias empreendidas pelos brasileiros no mundo.

Essa é a primeira visita oficial ao Brasil de um chefe de Estado do Catar desde o estabelecimento das relações diplomáticas entre os dois países, em 1974.

Segundo o presidente Lula, após a implementação de voos diretos entre o Brasil e o Catar será possível ampliar o fluxo de comércio. "O Catar permanece um destino pouco conhecido dos exportadores brasileiros. Nosso país também oferece os atrativos de um mercado interno em franca expansão e com amplas oportunidades em setores de ponta", disse.

*Com informações de Keila Santana, especial para o UOL Notícias em Brasília, e da Agência Brasil

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos