Campanha contra tráfico de pessoas busca incentivar denúncias

Flávia Villela
Da Agência Brasil
No Rio de Janeiro

A Rodoviária Novo Rio, na zona portuária da capital fluminense, foi o local escolhido para o lançamento nacional da Campanha de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas - 2010. A cerimônia ocorreu na manhã de hoje (9) no Setor de Embarque, por onde passam cerca de 80 mil pessoas por dia em períodos de feriados prolongados e férias.

A campanha é promovida pelo Ministério da Justiça e pela Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres. O secretário nacional de Justiça, Romeu Tuma Júnior, ressaltou que a população deve denunciar esse tipo de crime, por meio do número de telefone 180. “É uma atividade criminosa cruel e silenciosa. É difícil visualizar pessoas sendo usadas como mercadorias. Mas precisamos conscientizar a sociedade, as vítimas, as testemunhas e as próprias autoridades para quebrar esse paradigma do silêncio”.

O secretário destacou que a maioria dos casos registrados está relacionada à exploração sexual de meninas e mulheres pobres, que representam 79% das ocorrências de tráfico de pessoas no mundo, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU).

As vítimas geralmente são aliciadas por conhecidos e, em troca de promessas de trabalho, são levadas para países ricos, onde são mantidas prisioneiras. Há também casos de tráfico para a exploração de mão de obra escrava e até para abastecer o mercado de tráfico de órgãos. A ONU estima que existam cerca de 4 milhões de mulheres vítimas desse tipo de crime em todo o mundo.

Até o final da campanha, que termina em meados de fevereiro, peças publicitárias de alerta ficarão expostas em aeroportos, rodoviárias e shoppings das dez cidades brasileiras que registram maior número de tráfico de pessoas: Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Goiânia, Salvador, Fortaleza, Porto Alegre, Belo Horizonte, Brasília e Belém. Algumas instalações estampam a imagem de uma jovem aprisionada. Também foram fixados adesivos nos espelhos dos banheiros, incentivando a denúncia..

Segundo o Ministério da Justiça, considerado uma das atividades criminosas mais lucrativas do mundo, o tráfico de pessoas movimenta mais de US$ 31 bilhões por ano. Nos últimos 20 anos, a Polícia Federal instaurou cerca de 800 inquéritos sobre esse crime no Brasil, alguns envolvendo várias vítimas. O estado de Goiás é o líder do ranking, com 147 inquéritos.

Os países que mais recebem imigrantes irregulares no esquema do tráfico de drogas, segundo Tuma Júnior, são a Bélgica, Portugal e a Espanha. “O Brasil está em constante contato com as autoridades desses países e já assinamos acordos de cooperação com Portugal.”

Ele destacou que, paralelamente às ações de conscientização, o Ministério da Justiça faz um trabalho de investigação para atingir o fluxo financeiro das organizações criminosas que lucram com o tráfico de pessoas. “Se conseguirmos evitar que a organização faça uso do recurso financeiro dessa atividade criminosa, teremos efetivamente uma repressão qualificada impedindo que ela prossiga nas suas ações”.

Segundo o secretário, outro trabalho importante – que está sendo realizado pelo Projeto Mulheres da Paz do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci) - é a capacitação de agentes comunitárias para identificação de potenciais vítimas em suas regiões de atuação, assim como aliciadores.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos