Dilma desafia oposição a comparar "obra por obra"

Do UOL Notícias

Em São Paulo*

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, desafiou nesta terça-feira (9) a oposição a comparar as realizações dos governos Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso, alimentando a polêmica iniciada pelo ex-presidente no fim de semana.

Em artigo publicado no domingo intitulado "Sem Medo do Passado" e em palestra a prefeitos tucanos no fim de semana, Fernando Henrique cobrou que o "lulismo" compare "sem mentir e sem descontextualizar". Na segunda-feira, ele disse que Dilma não é líder, mas reflexo de um líder.

"Se quiserem comparar, nós vamos comparar número por número, casa por casa, obra por obra, escola por escola, emprego por emprego", ressaltou Dilma durante discurso em Governador Valadares (MG), onde o presidente Lula inaugurou obras e projetos.

"Nós temos orgulho do nosso governo e temos orgulho do líder que nos lidera nesse governo, que é o presidente Lula."

A estratégia do governo é transformar a eleição presidencial de outubro em uma espécie de plebiscito. Pré-candidata do PT à Presidência da República, a ministra Dilma Rousseff lembrou que é mineira e tentou demonstrar simpatia durante sua fala. No entanto, cometeu duas gafes.

Primeiro, confundiu-se e chamou Governador Valadares de Juiz de Fora, outra cidade mineira. Em seguida, referiu-se às obras de saneamento e habitação que a comitiva presidencial visitou na Vila Palmeiras dizendo que o local era Vila Palmares.

Citando o esforço do governo para a construção de casas populares e criticando os antecessores de Lula, Dilma destacou que as ações do governo devem ter o objetivo de mudar a vida das pessoas.

"Não fizeram olhando os mais pobres, fizeram olhando os remediados, uma classe média", comentou.

A ministra ainda alfinetou indiretamente o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), provavelmente seu principal adversário na eleição. O tucano enfrenta problemas de enchentes no Estado.

"Quando ocorre um alagamento, quando ocorre um desbarrancamento, o pessoal fica espantado porque quem morre são os mais pobres", disparou. Serra não fez declarações a respeito e não respondeu.

"Morrem os mais pobres porque não teve uma política habitacional nesse país que fizesse com que essas pessoas não fossem obrigadas a morar na beira do córrego, na beira do rio, na beira da lagoa, num fundo de vale ou na encosta de um morro."

Dilma argumentou ainda que o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) tem o mérito de executar obras em lugares que nunca antes tinham recebido atenção do poder público, e frisou que a segunda edição do programa garantirá a continuidade desses avanços.

"Nós vamos transformar cada vez mais o Brasil."

Além de Dilma, o ministro da Justiça, Tarso Genro, que deixa o cargo amanhã para disputar o governo do Rio Grande do Sul, também comentou as declarações do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Para Genro, FHC é o “melhor personagem” entre os adversários do PT. Segundo ele, FHC é que dá o rumo a uma “oposição sem rumo”.

Oposição tenta barrar inaugurações, diz Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou hoje (9) que as ações dos partidos de oposição ingressadas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra suas viagens para inauguração de obras são um pretexto para a falta de discurso.

“Penso que quando um partido de oposição não tem o que propor e não tem discurso, fica difícil a situação deles, então eles tentam impedir que o outro time jogue. Nossos adversários estão com aquele time mais frágil que tenta parar [o adversário] fazendo falta”, disse Lula em entrevista a rádios em Minas Gerais.

“Eles não têm como competir e tentar dizer que o presidente está viajando. Eles queriam que eu ficassem em Brasília? Tenho que ver as obras, que é o dinheiro do povo”, disse o presidente que hoje cumpre agenda com visitas a várias obras nos municípios mineiros de Teófilo Otoni e Governador Valadares.

Lula ressaltou que está recuperado da crise de hipertensão sofrida há duas semana e que pretende continuar viajando até o final do seu mandato. O presidente afirmou ainda que não medirá esforços para eleger “sua sucessora”.

* Com informações da Reuters  e da Agência Brasil

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos