Assessoria do governo do DF nega renúncia de Paulo Octávio, mas confirma entrevista coletiva

Do UOL Notícias*
Em Brasília

A assessoria de imprensa do governador em exercício do Distrito Federal, Paulo Octávio, negou na tarde desta quinta-feira (18) que ele tenha decidido renunciar ao cargo, mas confirmou para as 16h30 de hoje uma entrevista coletiva do governador para a imprensa. O teor do pronunciamento não foi confirmado.

Os jornalistas aguardavam, há cerca de 3 horas, no Palácio do Buriti (sede do governo do Distrito Federal), uma entrevista do governador quando o assessor de imprensa, André Duda, comunicou que Paulo Octávio não falaria naquele momento. Duda disse que estranhava a presença dos jornalistas e informou que o governador despachava normalmente do 11º andar do palácio.

Na manhã de hoje, Paulo Octávio encontrou-se com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e disse que uma das opções estudadas por ele era renunciar. O presidente deixou claro que a postura do governo federal em relação à crise no governo do DF seria estritamente institucional e que ele não irá se manifestar antes da decisão da Justiça.

Paulo Octávio entregou uma carta com seis pontos em que afirma que o papel que lhe cabe na crise política de Brasília é o de ser um “facilitador” e diz não ter outra ambição que não seja restaurar a normalidade e a governabilidade do DF. “Irei persistir nessa direção apenas e tão somente enquanto me sentir útil como um fator positivo na superação dos inúmeros obstáculos”, diz na carta.

“O governador Paulo Octávio não veio pedir apoio ao presidente. [Lula] Deixou claro de pronto que não cabe ao presidente apoiar uma situação ou outra nesse momento, mas sim aguardar a posição da Justiça”, afirmou o ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, que também participou da reunião entre Lula e o governador em exercício.


Sobre a possibilidade de renúncia, Lula disse a Paulo Octávio que essa é uma decisão de foro íntimo do governador e o governo federal não tem nenhuma opinião sobre o tema, segundo Padilha.

 Entretanto, na tarde de hoje, o assessor de imprensa do governo do DF negou a existência de uma carta de renúncia e informou que, no fim da tarde, o governo deveria apenas divulgar nota sobre o teor da conversa com o presidente Lula.

Ainda segundo André Duda, Paulo Octávio não visitou o governador licenciado, José Roberto Arruda, hoje na prisão, nem pretende fazer a visita.

Arruda está preso desde o dia 11 deste mês na sede da Superintendência da Polícia Federal em Brasília. Ele é acusado de ter tentado subornar uma testemunha do suposto esquema de arrecadação e pagamento de propina no Distrito Federal. Segundo denúncias, o próprio governador chefiaria esse esquema.
 



*Com informações da Agência Brasil

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos