Em reunião com secretários, Paulo Octávio diz que continua no governo

Edemilson Paraná
Do UOL Notícias
Em Brasília

O governador interino do Distrito Federal, Paulo Octávio (DEM), reuniu-se nesta sexta-feira (19) com os secretários de governo no Palácio do Buriti, em Brasília, e afirmou que pretende continuar a frente do comando DF. Octávio disse ainda que irá se desfiliar do Democratas até a próxima semana.

Todos os vinte secretários estavam presentes no encontro que durou cerca de uma hora. Na reunião, foi avaliada a situação das pastas e discutido um cronograma de inauguração de obras para os próximos meses.
De acordo com André Duda, secretário de comunicação do governo, a reunião serviu para mostrar que o pedido de intervenção federal, feito pelo Ministério Publico Federal “é fora de propósito”. Segundo ele, o governo do Distrito Federal está funcionando normalmente.

No último dia 11, quando o governador José Roberto Arruda (sem partido) foi preso após decisão do STJ (Supremo Tribunal de Justiça), o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, apresentou ao STF (Supremo Tribunal Federal) um pedido de intervenção federal no Distrito Federal.

Na noite de ontem (18), os secretários divulgaram carta de apoio a decisão de Paulo Octávio de permanecer como governador interino. “Em nome da governabilidade, nós, Secretários de Estado do Governo do Distrito Federal, apoiamos a decisão do governador em exercício Paulo Octávio Pereira em dar continuidade às ações de governo, que vem sendo tão bem executadas até o momento”, disse o texto.

Paulo Octávio foi orientado por seu partido a fazer uma mudança no secretariado. Mas André Duda negou que os secretários deixarão os cargos. “Não é hora de trocar, é hora de manter as pessoas que estão lá para que continuem o trabalho que estão realizando”, disse o secretário.

Arruda permanece preso
No dia 12 de fevereiro, o Supremo Tribunal Federal negou o pedido de habeas corpus em favor de Arruda.

A PGR (Procuradoria Geral da República) encaminhou ontem (18) ao STF parecer defendendo a manutenção da prisão preventiva de Arruda. De acordo com a vice-procuradora-geral da República, Deborah Duprat, a prisão é necessária para garantir a manutenção da ordem pública e para garantir o curso da investigação.

Na tarde de hoje (19) Arruda foi transferido para uma sala menor dentro da Superintendência do PF em Brasília, onde está preso desde o dia 11 de fevereiro. A nova sala não tem janela nem banheiro privativo.
Arruda estava preso em uma sala da Diretoria Científica da PF. De acordo com nota divulgada pela Polícia Federal “a transferência tem como objetivo a retomada da rotina de trabalho da Diretoria Científica, bem como a racionalização da segurança disposta para a custódia”.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos