"Dilma só sairá do cargo no último segundo que a lei permitir", diz ministro de Relações Institucionais

Camila Campanerut
Do UOL Notícias
Em Brasília

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, afirmou na manhã deste sábado (20), em Brasília, que a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Roussef, "só saíra do cargo no último segundo que a lei permitir’, ou seja, seis meses antes da eleição, em abril.

“O governo não vai parar de governar, de inaugurar obras, de acompanhar obras”, defendeu ele, ao chegar no 4º Congresso do PT, onde Dilma será lançada como pré-candidata à presidente pelo partido.

Já a escolha dos candidatos pelas legendas e coligações será oficializada nas convenções partidárias, que devem ser realizadas em junho.

Além de enfatizar que o governo não vai diminuir o ritmo de trabalho para entrar no passo de campanha eleitoral, o ministro voltou a ressaltar o discurso petista sobre a importância das alianças para dar continuidade ao programa do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“As diretrizes [do programa de governo de Dilma] vão ser debatidas com os 17 partidos que compõem a base do presidente”, afirmou, destacando que as emendas mais esquerdistas aprovadas no dia anterior de Congresso podem não constar no documento final que irá formar o programa da candidata petista.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos