Câmara do DF aprova abertura de processo contra 3 deputados distritais envolvidos no mensalão do DEM

Camila Campanerut
Do UOL Notícias

Em Brasília

Atualizada às 14h37

A Comissão de Ética da Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou nesta quinta-feira (25) a abertura de processo por quebra de decoro parlamentar contra três deputados distritais envolvidos no suposto escândalo de corrupção no governo do DF, conhecido como mensalão do DEM.

O três deputados que enfrentarão o processo são o ex-presidente da Casa Leonardo Pudente (sem partido), Eurides Brito (PMDB) e Julio Brunelli (PSC). Prudente foi flagrado em vídeo colocando dinheiro de suposta propina nas meias; Eurides foi flagrada colocando dinheiro na bolsa e Brunelli aparece rezando antes de receber dinheiro.

Os três deputados terão prazo de 30 dias para entregar a defesa. Depois disso, os relatores dos processos contra eles na Comissão de Ética terão 30 dias para analisar a defesa, prazo prorrogável por mais 30 dias. Esses parlamentares são citados no caso de corrupção e pagamento de propinas para servidores e empresas prestadoras de serviço do DF.

A Comissão de Ética vai analisar ainda a situação de outros cinco deputados: Ayilton Gomes (PR), Benedito Domingos (PP), Benício Tavares (PMDB), Rogério Ulysses (sem partido) e Rôney Nemer (PMDB).

"Não arquivamos nenhum [processo] dos outros cinco processos. Como não havia provas além da citação de terceiros, aguardamos mais informações. Arquivar os processos talvez seja prematuro", afirmou a deputada Érika Kokay (PT), que presidiu a sessão da Comissão de Ética da Câmara Legislativa do Distrito Federal nesta quinta-feira.

Os nove deputados envolvidos no mensalão do DEM ainda não foram notificados pela quebra de decoro e não há prazo para isso acontecer. "Não há prazo para notificar, isso é uma falha no regimento", afirmou Kokay.

O deputado Cabo Patrício (PT) escapou do processo. Ele era acusado de mudar a lei para beneficiar empresa do filho do ex-presidente da Câmara Leonardo Prudente e também de ter sido leniente ao não cumprimento ação judicial que proibia a invasão da Câmara Distrital por estudantes no final do ano passado.

Tumulto no início da sessão
A sessão de hoje da Comissão de Ética começou atrasada e com integrantes diferentes da formação original. O presidente da comissão, Bispo Renato (PR), está de licença médica. Sua suplente natural seria a deputada Eurides Brito (PMDB). Entretanto, ela é uma das distritais flagradas em vídeo de suposta propina e é uma dos oito parlamentares que serão julgadas por essa comissão de ética. Assim, a reunião acabou sendo presidida pela deputada Érika Kokay (PT).

O deputado Raimundo Ribeiro (PSDB), corregedor da Casa, também é membro da comissão. No entanto, se manteve fora da sessão, por já ter apresentado parecer. No lugar dele, foi acionado seu suplente, o deputado Dr. Charles (PTB).

Entenda as acusações contra os 9 deputados distritais:
Ayilton Gomes (PR) – foi mencionado em uma das gravações da Polícia Federal como um dos beneficiados do recebimento de dinheiro. A conversa foi entre o delator (e ex-Secretário de Relações Institucionais) Durval Barbosa, o governador afastado José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM) e o ex-chefe da Casa Civil José Gerardo Maciel. Defesa: O parlamentar nega o fato e nega que tenha participado da conversa.

Benedito Domingos (PP) – também foi mencionado em uma das gravações da Polícia Federal como um dos beneficiados do recebimento de dinheiro. A PF obteve gravação de conversa dele com Durval Barbosa, Arruda e José Gerardo Maciel. Durval disse ainda que pagou R$ 6. 000.000, 00 para que o PP apoiasse a então candidatura de Arruda ao Governo do Distrito Federal em 2006. Defesa: Domingos nega o recebimento de tais valores e nega ter participado de qualquer conversa.

Benício Tavares (PMDB) – foi flagrado em vídeo conversando com Durval Barbosa. Segundo Barbosa, o deputado teria feito pagamentos a ele a mando de Arruda. Defesa: Tavares nega o recebimento do dinheiro e ainda indicou que prova feita de forma ilegal não tem validade jurídica.

Cabo Patrício (PT) – acusado de mudar lei para beneficiar empresa do filho do ex-presidente da Câmara Legislativa, Leonardo Prudente (sem partido). Outra acusação se refere ao fato dele ter sido “leniente” no cumprimento da desocupação de estudantes que invadiram a Câmara em dezembro do ano passado. Defesa: ele nega, e o processo contra Patrício foi arquivado pela Comissão de Ética.

Eurides Brito (PMDB) – foi flagrada em um vídeo recebendo dinheiro e guardando-o em uma bolsa. A cena foi gravada pelo ex-Secretário de Relações Institucionais, Durval Barbosa, um dos delatores da Operação Caixa de Pandora da Polícia Federal, que descobriu o suposto caso de corrupção e pagamento de propina a servidores e prestadores de serviço no governo do Distrito Federal. Defesa: A deputada nega e pediu a cópia original do vídeo, que não foi entregue pela PF à Câmara Legislativa.

Júnior Brunelli (PSC) – foi flagrado em um vídeo em que faz uma “oração” e recebe dinheiro. De acordo com Barbosa, ele recebia pagamentos “sucessivos desde 2002”. Defesa: O parlamentar nega.

Leonardo Prudente (sem partido) – foi flagrado em um vídeo colocando dinheiro na meia e nos bolsos do paletó. Defesa: Prudente admite o recebimento do dinheiro, mas alega que o vídeo foi adulterado, além de o fato ter ocorrido na campanha eleitoral anterior “não contaminaria o presente mandato”, segundo ele.

Rogério Ulysses (sem partido) – também foi mencionado em uma das gravações da Polícia Federal como um dos beneficiados do recebimento de dinheiro ilícito na conversa entre Durval Barbosa, Arruda e José Gerardo Maciel. Defesa: Ulysses nega o recebimento de qualquer dinheiro e ainda alega que as buscas não encontraram nenhuma evidência comprovando o caso.

Rôney Nemer (PMDB) – também foi mencionado em uma das gravações da Polícia Federal como um dos beneficiados do recebimento de dinheiro. A PF tem registros de conversa dele com Durval Barbosa, Arruda e José Gerardo Maciel. Defesa: O parlamentar nega.

Veja a seguir que pode acontecer com Arruda e com o Distrito Federal.

  •  
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos