Quatro advogados de Arruda deixam o caso

Pedro Peduzzi
Da Agência Brasil
Em Brasília

O advogado José Gerardo Grossi confirmou hoje (26), à Agência Brasil, que deixou a defesa do governador afastado José Roberto Arruda (sem partido), do DF. Ele não está mais no caso desde a manhã de ontem (25), quando se encontrou Arruda para apresentar a carta de renúncia. Em seguida, Grossi encaminhou o comunicado à Superintendência da Polícia Federal (PF).

O advogado alegou “motivos de foro íntimo” para deixar o caso. Além dele, deixaram a defesa do governador afastado três advogados: Nabor Bulhões, Eduardo Alckmin e Eduardo Ferrão. Todos eles foram convidados por Arruda a pedido do próprio Grossi.

“Ao ver o volume de serviço que esse caso ia requerer, sugeri ao Arruda que também os contratasse em função da experiência que têm”, disse Grossi. Ele informou que os profissionais do seu escritório atuam em cerca de 200 casos.

Com a saída de Grossi e dos outros três advogados do caso, a defesa de Arruda fica a cargo apenas de Nélio Machado e de sua equipe.

O governador afastado está preso na Superintendência da PF desde o dia 11, por determinação do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Ele é acusado de tentar subornar uma testemunha do suposto esquema de corrupção envolvendo seu governo, deputados distritais e empresários.

Impeachment

Marcada para começar às 10h30, a sessão da Comissão Especial da Câmara Legislativa, na qual será apresentado um parecer sobre o impechment de Arruda, atrasou por conta da queda de energia elétrica que atingiu a Casa por volta de 9h. Às 11h, a eletricidade foi restabelecida. Ainda não há previsão para o términoda sessão.

A Companhia Energética de Brasília (CEB) alegou que houve um problema no gerador da região norte do DF, e que a falta de luz afeta também algumas cidades-satélites. Mais cedo, próximo à Câmara Legislativa, um poste de luz pegou fogo. Nem o Corpo de Bombeiros, nem a CEB confirmaram se há uma relação entre o incêndio e a falta de energia na região.

A comissão especial, com relatoria do deputado Chico Leite (PT), deverá apresentar um parecer favorável ao impeachment de Arruda, que, por sua vez, terá um prazo de 20 dias para apresentar sua defesa, se o parecer realmente for pelo impeachment.

Veja a seguir que pode acontecer com Arruda e com o Distrito Federal

  •  
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos