Defesa de Arruda suspeita de manipulação de vídeos sobre suposto esquema de corrupção

Pedro Peduzzi
Da Agência Brasil
Em Brasília

O advogado Nélio Machado, responsável pela defesa do governador licenciado do Distrito Federal, José Roberto Arruda, disse hoje (1°) que há indícios de que os vídeos sobre um suposto esquema de pagamento de propinas gravados pelo ex-secretário de governo local Durval Barbosa foram manipulados. Ele afirmou que caberá aos peritos da Polícia Federal (PF) atestar de forma convincente a não manipulação do material.

“Há gravações que nos deram a impressão de que as imagens estão entrecortadas e outras em que não se percebe claramente a fala [dos envolvidos]. Por isso o INC [Instituto Nacional de Criminalística] precisa atestar de forma convincente a não manipulação desses vídeos”, disse o advogado à Agência Brasil.

Machado argumenta que em alguns trechos do inquérito, “há solicitações de desligamento de escutas ambientais feitas por Durval Barbosa”, o que geraria, segundo o advogado, suspeitas sobre a forma como o ex-secretário do governo estaria conduzindo as gravações. “Essas imagens sequer refletem o contexto em que foram gravadas”, argumenta.

De acordo com a PF, cerca de 30 vídeos estão sendo analisados pelo Serviço de Perícias em Audiovisual e Eletrônicos do INC, mas ainda não há resultados conclusivos sobre eles, o que só deve ocorrer daqui a três semanas.

“Os peritos criminais federais dominam técnicas que os permitem afirmar de forma categórica e convincente se houve ou não manipulação desses vídeos”, garante o presidente da Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF), Octavio Brandão.

O advogado disse estar confiante nas argumentações que serão usadas na defesa do habeas corpus de Arruda na próxima quinta-feira (4), durante o julgamento do pedido pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). “Usaremos argumentos que mostrarão que a prisão [do governador licenciado] é desnecessária e severíssima”, acrescentou.

Segundo ele, não faz parte da estratégia de defesa alegar problemas de saúde do governador afastado. “Apresentaremos apenas razões jurídicas e não emocionais, sem apelar para a questão da saúde”, disse.

Machado informou que os problemas de pressão alta de Arruda “estão controlados”. No entanto, afirmou que “houve um dia em que ele apresentou pressão baixa, chegando a marcar 8 por 5”.

O advogado também voltou a afirmar que a PF tem dificultado o acesso do médico particular de Arruda ao paciente. “Médico é uma questão de confiança”, frisou. Segundo a PF, no entanto, o governador afastado tem se submetido a exames médicos regulares.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos