"Eu temo pela vida do governador", diz deputado que entregou notificação a Arruda

Camila Campanerut
Do UOL Notícias

Em Brasília

Atualizada às 21h55

O deputado Batista das Cooperativas (PRB) afirmou na noite desta segunda-feira (8) que está "preocupadíssimo" com o estado de saúde do governador afastado do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido), preso na Superintendência da Polícia Federal desde o dia 11 de fevereiro. O deputado distrital foi levar ao governador a notificação sobre a abertura do processo de impeachment na Câmara Legislativa.

“Eu fiquei preocupadíssimo com o estado em que ele está de diabete, [seus] pés [estão] absurdamente inchados, caminhando para uma trombose”, disse Batista das Cooperativas em uma entrevista coletiva. O parlamentar se disse preocupado com a forma que ele tem sido tratado dentro da Polícia Federal e disse que foi negado a Arruda o acompanhamento médico de um especialista de sua confiança.

Nesta tarde, o governador deixou a superintendência pela primeira vez para realizar exames no Hospital Juscelino Kubitschek, no Sudoeste, em Brasília. Há suspeita de que o ex-democrata estaria com trombose (formação de um coágulo de sangue no interior de um vaso sanguíneo) no tornozelo direito. Arruda reclamou que estava com inchaço e sentindo dores no tornozelo, que foi operado no final do ano passado após a ruptura nos ligamentos. 

A assessoria de imprensa da Polícia Federal foi procurada para comentar a fala do deputado, mas ninguém foi encontrado. Mais cedo, a PF disse que policiais escoltaram o governador até o hospital particular  e afirmaram que Arruda está tendo acompanhamento médico diário. Nesta segunda, a defesa pediu ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) que o governador seja atendido por um médico particular.

“Eu estou preocupado com um ser humano recluso em uma sala que não é uma masmorra, mas não é um espaço adequado para quem tem diabetes”, disse Batista das Cooperativas. Ainda segundo o deputado, Arruda parecia apático em relação à última visita, feita na sexta-feira (5), quando o governador chamou um dos procuradores da Câmara, Fernando Nazaré, de “capacho do PT”.
 

Veja como é o local onde está preso Arruda


Cooperativas disse que nesta segunda-feira Arruda estava acompanhado de sua advogada Lúcia Lossio e recusou-se a assinar a notificação sobre o impeachment. A notificação foi registrada da mesma forma e dois policiais federais serviram de testemunha.

Na última sexta-feira, o governador afastado recusou-se a receber a notificação porque, de acordo com seu advogado de defesa, ele não teve acesso integral a todos os documentos que envolvem o seu inquérito.

Após ser notificado, Arruda agora tem 20 dias úteis de prazo para apresentar sua defesa à Câmara Legislativa. Depois disso, o processo volta para as mãos do relator, que terá 10 dias para apresentar um parecer para a comissão. Ele será então analisado pela comissão e irá à votação no plenário da Casa.

Veja a seguir o que pode acontecer com Arruda e com o Distrito Federal: 

  •  

*Com informações da Folha Online

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos